Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da restrição proteica gestacional e lactacional sobre a próstata de ratos: relação entre a via de sinalização da Insulina/IGF, desenvolvimento e envelhecimento

Processo: 14/08531-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 01 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Luis Antonio Justulin Junior
Beneficiário:Sérgio Alexandre Alcantara dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/25033-7 - Cultura de órgãos como modelo para estudar a dinâmica do desenvolvimento do sistema genital masculino: ducto de Wolff e próstata, BE.EP.DR
Assunto(s):Envelhecimento   Insulina   Dieta com restrição de proteínas

Resumo

Condições gestacionais adversas podem acarretar alterações morfofuncionais irreversíveis no feto, fenômeno conhecido como Programação Fetal Gestacional (PFG). A restrição proteica in utero, modelo extensamente estudado de PFG, é responsável por baixo peso ao nascimento e desenvolvimento de resistência à insulina e diabetes tipo II na idade adulta. A PFG também altera os níveis de hormônios esteroides e de fatores de crescimento, tais como insulina/IGFs na prole. A via Insulina/IGF tem sido relacionada ao desenvolvimento prostático assim como desordens na glândula durante envelhecimento. Assim, este projeto tem como objetivo caracterizar a via de sinalização da insulina/IGF durante o desenvolvimento e envelhecimento prostático normal, assim como possíveis alterações nesta via causadas restrição proteica gestacional nestes períodos. Para isso, ratos Sprague Dawley (grupo CTR) nascidos de mães alimentadas com ração normal (17% de proteína) ou com ração hipoproteica (6% de proteína) durante a gestação (grupo RPG), ou durante a gestação e lactação (grupo RPGL) serão utilizados. Os lobos prostáticos ventrais (PV) e o sangue serão coletados nos dias pós-natal (DPN) 21 e 540. Serão efetuadas dosagens hormonais; análises dos parâmetros morfológicos e morfométricos da glândula; análises imunocitoquimicas, de western blotting e de PCR em tempo real para descrever a via de sinalização da insulina/iGF. Nos animais de 540 dias será dada especial atenção à descrição desta via, correlacionando os dados a possíveis desordens prostáticas observadas nestes animais. Este projeto se insere na linha de pesquisa contemplada por um projeto de auxílio regular aprovado pela FAPESP que se encontra em andamento (Proc. Nº. 2013/24230-5). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.