Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do emprego do fenoldopam na proteção renal em ratos submetidos à lesão renal por isquemia/reperfusão sob anestesia inalatória com isoflurano

Processo: 13/24552-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Norma Sueli Pinheiro Módolo
Beneficiário:Aparecida Vitória Gonçalves de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Citometria de fluxo   Isquemia   Reperfusão   Anestesiologia

Resumo

Justificativa e Objetivo: A lesão de Isquemia / reperfusão renal é uma das principais causas da insuficiência renal aguda, comum no período perioperatório e em doentes críticos internados em unidades de terapia intensiva. O restabelecimento do fluxo sanguíneo pode agravar a lesão pelo mecanismo de isquemia e reperfusão (I/R). O objetivo deste estudo é avaliar a infusão de fenoldopam em ratos submetidos ao processo de I/R em modelo experimental. Método: Serão selecionados 30 ratos Wistar, alocados em três grupos aleatórios: Grupo Isquemia (nefrectomia direita, infusão de salina e manobras de I/R, n=10); Grupo Fenoldopam (nefrectomia direita, infusão de fenoldopam, 5µg.kg-1.min, infusão intravenosa uma hora antes do procedimento isquêmico e manobras de I/R, n=10) e Grupo Sham (laparotomia e infusão de salina, n=10). Os animais serão anestesiados com isoflurano. Durante o procedimento experimental avaliaremos peso, frequência cardíaca (FC), pressão arterial sistólica (PAS), diastólica (PAD) e média (PAM), temperatura intraoperatória (T) nos momentos M0 (monitorização inicial), M1 (após estabilização), M2 (após isquemia) e M3 (após reperfusão). Dosagens plasmáticas de: NGAL, IL-18, KIM-1 e creatinina serão realizadas nos momentos: M1, M2, M3, M4, M5, M6 e M7 (24 horas após o início do experimento). Os animais serão alocados em gaiolas metabólicas para coleta de urina entre M3 e M7. Os rins serão analisados histologicamente para determinação da necrose tubular aguda e avaliaçao de necrose e apoptose por citometria de fluxo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)