Busca avançada
Ano de início
Entree

Etxekoak ETA Familiakoak (os de casa e os de sangue): uma antropologia da arquitetura no Vale de Araotz (País Basco)

Processo: 14/19818-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Jorge Luiz Mattar Villela
Beneficiário:Ion Fernandez de Las Heras Lopez de Guerenu
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Antropologia cultural e social   Parentesco   Patrimônio cultural   Etnografia   Sociedade rural   Habitat rural   País Basco

Resumo

Este projeto de pesquisa propõe uma etnografia do meio rural basco mediante a problematização de um tipo de casa, o baserri ou caserio basco. Proponho desenvolver tal estudo tomando como ponto de partida 3 baserriak específicos (e os grupos domésticos relativos a eles) de um total de 60 que conformam o auzoa (bairro rural) de Araotz, pertencente ao município de Oñati (Guipuzkoa, País Basco, Espanha). Como hipótese geral, sugiro que no País Basco são identificáveis dois modelos de família categorizadas por duas noções autoexcludentes, etxekoak (os de casa) e familiakoak (os da família: consanguíneos), isto é, um parentesco rural ou tradicional de casa e um parentesco urbano ou moderno de sangue. No entanto, longe de entendê-los como dois esquemas claros e diferenciados, sugiro que estes não existem para além de suas articulações específicas (materiais, jurídicas, territoriais, morais, políticas, etc.); a casa é o tropo escolhido a partir do qual etnografar tais articulações. Nesse sentido, será necessário estabelecer um diálogo com as etnografias feitas no contexto basco (relativas à antropologia das sociedades camponesas), com a antropologia do parentesco das chamadas sociedades de casa (que amplifica o debate para além do parentesco Europeu) e com a antropologia da arquitetura (cuja discussão vem ligada a questões de materialidade e espaço). (AU)