Busca avançada
Ano de início
Entree

Quantificando a base mecanicista de serviços ecossistêmicos associados à regulação de doenças em paisagens agrícolas

Processo: 14/11676-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Jean Paul Walter Metzger
Beneficiário:Elizabeth Stevens Nichols
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/23457-6 - Projeto interface: relações entre estrutura da paisagem, processos ecológicos, biodiversidade e serviços ecossistêmicos, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Ecologia da paisagem   Interações hospedeiro-patógeno   Besouros   Transmissão de doenças

Resumo

Interações bióticas entre espécies parasitas e não-parasitas (e.g. hospedeiros, vetores) são fundamentais para uma série de processos ecossistêmicos, incluindo a mediação da transmissão de doenças entre as espécies em uma comunidade. Quando e onde as doenças parasitárias afetam diretamente seres humanos e animais domésticos, a redução do risco de transmissão dessas doenças por espécies não-parasitárias pode ser considerada um serviço ecossistêmico. No entanto, pouco se sabe sobre como as mudanças ambientais afetam as interações bióticas importantes para a transmissão de helmintos nos ecossistemas. O presente projeto visa quantificar como um dos principais vetores da mudança ambiental global (i.e. a perda de habitat nativo) influencia as interações entre hospedeiros e parasitas e, portanto, a prestação do serviço de regulação de doenças, através de um modelo composto por besouros coprófagos e helmintos de mamíferos domésticos com as quais estes interagem. Parasitas gastrointestinais (e.g. helmintos) acarretam um enorme custo econômico vinculado à transmissão de doenças seja em seres humanos, ou em animais domésticos, e representam em países em desenvolvimento, os agentes infecciosos mais disseminados. Evidências sugerem que besouros coprófagos podem suprimir (i.e. regular) a transmissão de helmintos com transmissão direta (TD) e ao mesmo tempo, amplificar a transmissão de helmintos com transmissão indireta (IT). Como besouros coprófagos são altamente sensíveis à perda de habitat nativo, espera-se que mudanças ambientais que afetam a diversidade ou densidade de besouros podem influenciar a transmissão bem sucedida de helmintos dos dois modos de transmissão. Neste projeto, propomos entender : (1) os mecanismos pelos quais as comunidades de besouros coprófagos influenciam a transmissão de helmintos DT e TI; e (2) como comunidades de besouros coprófagos respondem à perda de habitat nativo. Esse projeto complementará o Projeto Temático FAPESP 13/23457-6 (Interface Project: Relationships among landscape structure, ecological processes, biodiversity and ecosystem services), utilizando-se do mesmo desenho amostral e fornecendo dados úteis para entender a questão central da proposta de como a disponibilidade de habitat influencia a provisão de serviços ecossistêmicos. A partir desses dados, será possível começar a preencher as principais lacunas de conhecimento relacionadas à transmissão e regulação de doenças parasitárias de cunho econômico nos trópicos, e ainda, os efeitos da perda de habitat nativo sobre esse serviço ambiental associado à saúde e bem estar humano. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.