Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da melatonina sobre a proliferação e migração celular em linhagem de meduloblastoma humano

Processo: 14/23830-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Pedro Augusto Carlos Magno Fernandes
Beneficiário:Luiza Henriques Ostrowski
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Glândula pineal   NF-kappa B   Neoplasias

Resumo

Meduloblastoma é o tumor mais frequente em crianças e, por ser altamente agressivo e invasivo, é classificado como grau IV pela Organização Mundial da Saúde e responsável por uma grande parte da mortalidade infantil por tumores. As terapias convencionais para o tratamento são responsáveis por danificar o tecido cerebral em desenvolvimento das crianças e frequentemente provocam sequelas. Estudos relatam uma grande sensibilidade desse tipo tumoral em relação à via do fator nuclear de transcrição ºB (NF-ºB), uma vez que a inibição da mesma provoca uma diminuição da proliferação de células de linhagem de meduloblastoma. A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal durante a noite e por fontes extrapineais em diferentes contextos fisiológicos. Este hormônio apresenta efeitos sobre a migração de tumores cerebrais, como os gliomas. Além disso, a melatonina está associada à modulação de processos inflamatórios, sendo capaz de inibir a translocação nuclear de NF-ºB em diversos tipos celulares. Até o presente momento não existe na literatura dados sobre os efeitos da melatonina sobre a agressividade de meduloblastomas. Deste modo, no presente projeto será utilizada a linhagem DAOY de meduloblastoma para testar a hipótese de que a melatonina é capaz de provocar uma diminuição na proliferação e migração destas células.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.