Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da Insularina na inibição da agregação plaquetária induzida por células SK-Mel-28: estudos in vitro.

Processo: 14/21546-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maisa Splendore Della Casa
Beneficiário:Lilian Gomes de Oliveira
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias   Agregação plaquetária

Resumo

A adesão celular tumoral é uma importante etapa no processo de progressão de metástase tumoral e conta com a participação significativa das plaquetas.Vários estudos têm sido realizados utilizando a rede de integrinas como alvo do controle da adesão e migração das células tumorais. A literatura vem elucidando a importância das disintegrinas, inibidores de integrinas, isoladas de venenos de serpentes Viperidae, como importantes ferramentas para o desenvolvimento de antagonistas de patologias dependentes de adesão celular. As RGD-disintegrinas têm afinidade pelas integrinasaIIbb3, a5b1 e avb3. Della-Casa e col. (2011) demonstraram que a disintegrina recombinante, insularina (GST-INS) foi capaz de inibir a agregação plaquetária via ADP e a inibição da adesão de células endoteliais ao fibrinogênio de forma significante. No presente projeto, iremos elucidar o papel da insularina recombinante, na inibição da agregação plaquetária induzida por células de melanoma humano, contribuindo, para a elucidação e inserção dessa molécula no contexto do desenvolvimento de agentes tumorais.