Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação da concentração relativa de hemopressinas em cérebro de camundongos submetidos à privação e restrição do sono

Processo: 14/01263-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2015
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Jair Ribeiro Chagas
Beneficiário:Gabriela Polster
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neuropeptídeos   Camundongos   Privação de sono   Receptores de canabinóides

Resumo

Neuropeptídeos tem um papel fundamental no funcionamento de todo o organismo e, em particular, no sistema nervoso central. A atividade de inúmeros neuropeptídeos, principalmente a interação com os respectivos receptores, tem sido amplamente estudada. Entretanto os mecanismos de geração de neuropeptídeos ativos, a partir de precursores inativos ou ativos e os mecanismos de degradação desses compostos, tem sido menos detalhados na literatura. Nosso interesse voltou-se então para estudar peptídeos intracelulares gerados pela proteólise extralisossomal (e.g. proteasomo e oligopeptidases) que podem exercer um papel fisiológico importante modulando a transdução de sinal de receptores acoplados a proteínas G (GPCRs) ou tirosina quinases. Atualmente, centenas de peptídeos intracelulares foram identificados em linhagens celulares humanas e em cérebros de camundongos, mas a função fisiológica desses peptídeos permanece completamente desconhecida. Exemplos recentes, como a hemopressina, Pro-Val-Asn-Phe-Lys-Leu-Leu-Ser-His, e a RVD- e VD-hemopressina, parecem ser neuropeptídeos endógenos ligantes de receptores canabinóides CB1, porém com ações contrárias. Se os peptídeos intracelulares endógenos desempenham papéis funcionais, como parece ser o caso baseado em estudos anteriores, seus níveis devem ser regulados sob várias condições fisiológicas e patológicas. Portanto nesse projeto nosso objetivo é desenvolver um método que consiga quantificar a concentração absoluta desses peptídeos em diferentes regiões do cérebro de camundongos, permitindo que posteriormente possamos avaliar alterações fisiológicas e patológicas dos peptídeos intracelulares no sistema nervoso central em modelos já estabelecidos. Em nosso caso, resultados prévios do grupo demonstraram modificações na expressão e atividade de metaloproteases na privação de sono paradoxal, onde o receptor canabinóide CB1 parece ter um papel importante. A título de aplicação da metodologia procuraremos quantificar os neuropeptídeos da família da hemopressina nesse modelo. (AU)