Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre variabilidade da frequência cardíaca e comportamento não-verbal na depressão com base na teoria Polivagal

Processo: 14/20799-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Andre Russowsky Brunoni
Beneficiário:Raquel Albano Fernandes
Instituição-sede: Hospital Universitário (HU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/20911-5 - Escitalopram e estimulação transcraniana por corrente contínua no transtorno depressivo maior: um ensaio clínico randomizado, duplo-cego, placebo-controlado de não-inferioridade, AP.JP
Assunto(s):Transtorno depressivo maior   Depressão   Comunicação não verbal   Variabilidade da frequência cardíaca

Resumo

O transtorno depressivo maior (TDM) é um transtorno psiquiátrico caracterizado pelo humor deprimido e anedonia. Outros sintomas podem incluir alterações de sono, apetite e libido; ideação negativa e pensamentos suicidas. Além disso, trata-se de um transtorno com alta recorrência, morbidade e mortalidade. Embora tenha aumentado, nas últimas décadas, o número de estudos sobre a depressão, o mecanismo fisiopatológico da doença é ainda incerto, corroborando o prosseguimento de investigações focadas em mecanismos envolvidos no TDM, meios diagnósticos e de tratamento. Uma das possíveis linhas de investigação envolve a análise dos chamados marcadores da depressão, que são parâmetros indicadores da presença e gravidade de uma doença ou transtorno. Dentre esses parâmetros estão a variabilidade da frequência cardíaca (VFC) e o comportamento não-verbal, ambos alterados em pacientes com TDM: estes apresentam redução da VFC e na capacidade de codificação comportamental não-verbal (redução de expressividade emocional). Ambas alterações podem, de acordo com a Teoria Polivagal, estarem correlacionadas e encontrarem-se associadas à disfunção da atividade do nervo vago. Esta teoria enfatiza o aspecto da condução bidirecional (aferente-eferente) do nervo vago e seu papel tanto na regulação do estado visceral quanto na emoção. Neste contexto, a presente pesquisa tem como objetivo verificar se há correlação entre VFC e comportamento expressivo não-verbal em pacientes deprimidos, utilizando o embasamento proposto pela Teoria Polivagal. Recrutaremos 40 pacientes entre 18 a 75 anos com depressão unipolar que não estão em uso de antidepressivos ou outros psicofármacos. A VFC será mensurada com o sujeito deitado e em repouso, por um período de 15 minutos, utilizando o software WindowsECG® para registro do eletrocardiograma e o software Kubios® para análise da VFC, que será mensurada através da análise espectral (ou banda de variação) e temporal da frequência cardíaca. O comportamento não-verbal será aferido através de entrevistas semi-estruturadas filmadas e posteriormente avaliadas por juízes treinados e mascarados, utilizando um etograma padronizado, desenvolvido para a avaliação do comportamento filmado em entrevistas, que leva em conta aspectos de sentimentos positivos/interação social e de sentimentos negativos/de isolamento. Na análise estatística, utilizaremos correlações para analisar a correlação entre VFC e comunicação não-verbal, bem como correlações parciais para avaliar a gravidade de depressão nesta possível associação. Este projeto de Iniciação Científica envolve a mesma equipe de pesquisadores e população de pacientes de outras pesquisas que já obtém auxílio FAPESP: um "Jovens Pesquisadores" (2012-20911/5, beneficiário: Prof. Dr. André Russowsky Brunoni) e uma bolsa de pós-doutorado (11/51732-6, beneficiário: Prof. Dra. Juliana T Fiquer / Supervisora: Prof. Dra.Clarice Gorenstein). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FERNANDES, RAQUEL A.; FIQUER, JULIANA T.; GORENSTEIN, CLARICE; RAZZA, LAIS BORALLI; FRAGUAS, JR., RENERIO; BORRIONE, LUCAS; BENSENOR, ISABELA M.; LOTUFO, PAULO A.; DANTAS, EDUARDO MIRANDA; CARVALHO, ANDRE F.; BRUNONI, ANDRE R. Nonverbal behaviors are associated with increased vagal activity in major depressive disorder: Implications for the polyvagal theory. Journal of Affective Disorders, v. 209, p. 18-22, FEB 2017. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.