Busca avançada
Ano de início
Entree

Plasticidade das brânquias de pacu juvenis (Piaractus mesopotamicus - Holmberg, 1887) em condição de estresse e alimentados com colostro bovino

Processo: 14/21500-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2015
Vigência (Término): 12 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Raul Machado Neto
Beneficiário:Wiolene Montanari Nordi
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse em animal   Células caliciformes   Fisiologia animal

Resumo

As brânquias são órgãos responsáveis pela respiração e trocas iônicas entre o meio interno do peixe e a água. Alterações nos padrões de qualidade da água podem induzir a uma condição de estresse e adaptações na estrutura das branquiais como tentativa de combater o desafio imposto. Estas modificações no epitélio branquial comprometem os processos fisiológicos e, consequentemente, a saúde dos peixes. Nesta investigação, as propriedades antioxidantes do colostro bovino serão ineditamente utilizadas com a finalidade de minimizar ou reduzir a plasticidade do epitélio branquial frente a um agente estressante, quando ingerido por juvenis de pacu (Piaractus mesopotamicus, Holmberg, 1887). Em tal situação, será caracterizada a arquitetura histologia das brânquias, o perfil iônico e a concentração de glicose plasmática. Juvenis de pacu serão adaptados por 10 dias em 12 tanques em iguais densidades de estocagem (11 kg peixe/m3). Durante os períodos de adaptação e experimental, os peixes serão alimentados com quatro dietas contendo 0, 10, 20 e 30% de colostro bovino liofilizado, considerando-se triplicatas para cada dieta, duas vezes por dia. Após a adaptação, os juvenis serão estocados em elevada densidade (20 kg peixe/m3), por 30 dias e no final deste período, nove juvenis de cada tratamento serão utilizados para coleta de amostras do tecido branquial. Análises histomorfométrica, estereológica, imunohistoquímica, quantificação de células caliciformes, histomorfológica e ultraestruturais serão realizadas. No sangue serão analisadas concentrações plasmáticas de íons e glicose. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)