Busca avançada
Ano de início
Entree

A recepção do cinema de Serguei Eisenstein no Brasil de 1945 a 1989

Processo: 13/19198-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Bruno Barretto Gomide
Beneficiário:Fabiola Bastos Notari
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Recepção (comunicação)   Cinema   Revolução Russa

Resumo

A proposta do trabalho consiste em investigar e analisar as possíveis relações que há entre o cinema de Serguei Mikhailóvitch Eisenstein, visto como cineasta da revolução socialista, e o contexto histórico brasileiro durante períodos que antecedem o regime militar e que o sucedem, de 1946 a 1989, na tentativa de revisitar a maneira como os filmes e textos desse cineasta foram recebidos e estudados pelos brasileiros. Paralelamente, buscar-se-á relacionar os espaços de exibição desses filmes, como cineclubes, salas de cinema e espaços culturais ao seu contexto histórico e político, articulando essas exibições a outras manifestações artísticas, como exposições e espetáculos. Também serão observadas as itinerâncias desses filmes pelo território nacional, buscando entender as relações entre distribuidoras de filmes, o público e esses espaços de exibição como locais de discussão e reflexão em períodos de repressão e censura. Essa tensão é eixo fundamental para compreender a recepção desse cineasta "socialista", seu reconhecimento e a busca incessante por parte de intelectuais e interessados pelo estudo das teorias desse cineasta ainda distante. Esse mapeamento também abarcará a reunião de críticas e textos publicados em jornais, revistas e livros sobre o cinema de Eisenstein. Dessa maneira, pretende-se traçar um mapeamento crítico dessas produções apresentando similaridades e contrastes, além de paralelamente analisar quais textos de Eisenstein foram traduzidos para o português e/ou quais textos esses intelectuais tinham acesso. Nesta pesquisa, alguns capítulos serão dedicados a exibições, cuja repercussão em território nacional foi expressiva, como, por exemplo, a exposição 115 desenhos de S. Eisenstein, no Museu Lasar Segall, em 1974, juntamente a exibição de seus filmes. Pretende-se fazer traduções de dois textos inéditos significativos que dialoguem com o mapeamento crítico. É, portanto, a partir desses levantamentos crítico-reflexivos em torno do cinema de Eisenstein no Brasil, que o trabalho se encaminhará, tanto para elucidar as tensões da recepção desses filmes, quanto para abrir um campo em que possa ser pensada e estudada as relações entre a Cultura Russa e a Cultura Brasileira. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
NOTARI, Fabiola Bastos. Eisenstein no Brasil. 2018. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.