Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise posturográfica como ferramenta de diagnóstico das alterações do equilíbrio em pacientes com esclerose múltipla e leve incapacidade

Processo: 14/05218-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Dagoberto Callegaro
Beneficiário:Bruna Antinori Vignola da Fonseca
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neurologia   Esclerose múltipla   Equilíbrio postural   Técnicas e procedimentos diagnósticos

Resumo

A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença neurológica crônica progressiva, caracterizada por lesões inflamatórias na bainha de mielina, disseminada pelo Sistema Nervoso Central (SNC). As manifestações neurológicas são muito variadas, porém os déficits relacionados ao controle do equilíbrio postural atingem cerca de 75% dos pacientes logo no início da doença ou com sinais leves de incapacidade. A avaliação padrão ouro do grau de incapacidade e evolução da doença é realizada através da Escala Expandida do Estado de Incapacidade (EDSS), no entanto, diversos autores já destacaram a insensibilidade dessa ferramenta para detectar déficits funcionais sutis. Considerando que as alterações do equilíbrio postural são relatadas pelos pacientes logo no início da doença e visto a necessidade de se encontrar sinais que caracterizem a sua evolução, este trabalho tem como objetivo utilizar a análise Posturográfica como ferramenta de diagnóstico das alterações do equilíbrio na Esclerose Múltipla desvalorizadas pelos testes clínicos e na anamnese. Será analisada a importância do desequilíbrio postural na evolução da doença através de um estudo observacional. Oitenta pacientes com diagnóstico de EM e incapacidade leve serão avaliados em um protocolo inicial que incluirá anamnese, avaliação do EDSS, teste da Posturografia Dinâmica Computadorizada (PDC) e testes clínicos observacionais. Após um período de 18 a 24 meses serão coletadas as informações referentes à evolução da doença (surtos e EDSS). 40 indivíduos controles serão avaliados. Este estudo avaliará se os fatores relacionados aos distúrbios do equilíbrio podem ser relacionados à evolução da doença. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FONSECA, Bruna Antinori Vignola da. Posturografia dinâmica e tempo de marcha: marcadores de declínio funcional em pacientes com esclerose múltipla e leve incapacidade. 2018. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.