Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de proteínas reguladas por melatonina que estão envolvidas no ciclo celular de Plasmodium falciparum

Processo: 14/26067-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2015
Vigência (Término): 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Bioquímica de Microorganismos
Pesquisador responsável:Célia Regina da Silva Garcia
Beneficiário:Giulliana Tessarin e Almeida
Supervisor no Exterior: Jude Przyborski
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: Philipps-Universität Marburg, Alemanha  
Vinculado à bolsa:13/13361-1 - Sequenciamento de alta cobertura (RNA-seq) para detectar genes diferencialmente expressos envolvidos na modulação do ciclo celular de Plasmodium falciparum, BP.PD
Assunto(s):Plasmodium falciparum   Ubiquitinação   Biologia molecular

Resumo

A malária continua a ser uma das principais doenças infecciosas no mundo em desenvolvimento. Durante a ultima década, o mundo tem feito um grande progresso na luta contra a malária (WHO 2013), porém o surgimento de resistência aos antimaláricos e inseticidas tem se tornado um grande problema a ser considerado. Sendo assim, novas abordagens quimioterápicas com alvos alternativos são necessárias (Doerig, Baker et al., 2009). Apesar de alguns progressos terem sido feitos, muitas das vias de sinalização que controlam o desenvolvimento da formas intra-eritrocíticas assexuadas do patógeno (anel para trofozoíto e estágios de esquizontes de Plasmodium falciparum) permanecem essencialmente descaracterizada. Nosso grupo mostrou que a fase assexuada de P. falciparum respondem a melatonina (e seus derivados, a triptamina, serotonina N-acetil serotonina e N1-acetil-N2-formil-5-metoxiquinuramina) ao modular o ciclo da proliferação in vitro (Hotta, Gazarini et al., 2000, Budu, Peres et al. 2007). Além disso, os parasitas de Plasmodium são capazes de sentir a sinalização do hospedeiro e modular a sua função através de uma maquinaria celular complexa de receptores de membrana (Garcia, Mark et al., 2001, da Madeira, Ga et al. 2008 Koyama, Chakrabarti et al. 2009 Budu e Garcia, 2012). A presente proposta pretende identificar o papel de duas proteínas reguladas pela transdução de sinal da melatonina, que podem estar envolvidas na ativação de genes do sistema ubiquitina proteossoma (UPS). Para alcançar nosso objetivo, pretendemos gerar parasitas com genes endógenos marcados com GFP, o que irá permitir seguir o estímulo de ativação em células vivas, bem como gerar parasitas com níveis ajustáveis destas proteínas de interesse para nos permitir estudar como remoção destas altera/remove a resposta a estímulos. Estes experimentos darão informações sobre a sinalização e os mecanismos direto da expressão destas proteínas, bem como mediar a correta localização subcelular correta dentro da célula do parasita e do hospedeiro infectado. (AU)