Busca avançada
Ano de início
Entree

Suplementação de Vitamina A em dietas práticas de origem animal ou vegetal para Largemouth bass (Micropterus salmoides) e seus efeitos no desempenho, respostas imunes não específicas e sobrevivência após desafio com Ichthyophthirius multifilis

Processo: 14/19810-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:José Eurico Possebon Cyrino
Beneficiário:João Fernando Albers Koch
Supervisor no Exterior: Rebecca Thoms Lochmann
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Arkansas at Pine Bluff (UAPB), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:13/17932-3 - Exigência de Vitamina A para Dourado (Salminus brasiliensis) e pacu (Piaractus mesopotamicus), BP.PD
Assunto(s):Peixes   Vitamina A

Resumo

A vitamina A é um termo genérico para compostos com as propriedades biológicas qualitativas de retinol. Na natureza, há três formas ativas de vitamina A: álcool (retinol), aldeído (retinal) e o ácido (ácido retinóico). A vitamina A é envolvida em muitos processos fisiológicos, para ótima função do animal, como diferenciação celular (vital para a reprodução), visão, desenvolvimento das células epiteliais (incluindo células produtoras de muco), formação óssea e diferenciação de células do sistema imunológico, necessária em resposta à exposição a agentes patogênicos ou proteínas estranhas. Dessa forma, vamos realizar dois experimentos simultaneamente no Centro de Pesquisa em Aquicultura, no laboratório de nutrição de peixes da Arkansas State University. Duas dietas experimentais (denominada controle em cada estudo) será formulada para atender as necessidades nutricionais do Largemouth bass, mas substituindo a farinha de peixe e óleo de peixe na dieta 1 por ingredientes vegetais (dieta 2). No estudo 1, a dieta controle (sem suplementação de vitamina A) irá conter ingredientes de origem animal e vegetal, com a maior parte da proteína fornecida por farinha de peixe. No estudo 2, a dieta controle irá conter apenas ingredientes vegetais e também será formulado para atender às necessidades nutricionais do Largemouth bass. As duas dietas bases (controle de cada estudo) experimentais serão analisadas para determinar a composição de nutrientes. Depois disso, a quantidade de vitamina A (retinóides) ou pró-vitaminas (carotenóides) destas dietas serão determinadas e, dependendo dos resultados, vamos formular 3-4 dietas suplementares para cada tipo de dieta (animal/vegetal ou somente vegetal). Ambas dietas controles não conterão premix vitamínico ou quaisquer formas de vitamina A (retinóides). Largemouth bass treinados a receber alimentação serão estocados em tanques de 110 L e aclimatados às condições laboratoriais durante uma semana após a chegada. Os peixes serão alimentados com uma dieta comercial durante a aclimatação. Cinco peixes serão congelados a -70 ° C para análise da composição centesimal e teor de vitamina A do fígado, tal como descrito para as dietas. Depois disso, 20 peixes (em média 5,0 g) serão selecionados e distribuídos para cada um dos vinte aquários para cada estudo (4 repetições por dieta), que serão distribuídos aleatoriamente para cada tratamento. Os peixes serão alimentados até a saciedade aparente, duas vezes ao dia (08:30 e 16:30 h) durante 10 semanas. Mortalidade e sinais específicos de deficiência de vitamina A serão verificados diariamente. O desempenho produtivo: ganho de peso (g), peso final (g), consumo de ração (g), conversão alimentar (g: g), taxa de crescimento específico, taxa de sobrevivência e eficiência protéica; Ensaios hematológicos: contagem de eritrócitos, hemoglobina, porcentagem de hematócrito, proteína plasmática total, volume corpuscular médio e concentração de hemoglobina corpuscular, concentração de albumina, albumina:globulina; Parâmetros imunológicos (não específica): lisozima, complemento via alternativa, atividade oxidativa de leucócitos; além da realização de um desafio com multifilis Ichthyophthirius (Ich). Os dados de cada estudo serão analisados por ANOVA (± = 0,05) utilizando o procedimento MIXED do Sistema de Análise Estatística (SAS) para determinar se há diferenças significativas entre os tratamentos. Se for detectado diferenças, os dados serão ainda analisados por regressão, que é mais apropriado para determinar a melhor resposta. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.