Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanopartículas contendo o antígeno PspA (Pneumococcal surface protein A) como vacina contra pneumonia pneumocócica

Processo: 14/25436-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Eliane Namie Miyaji
Beneficiário:Tasson da Costa Rodrigues
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Pneumonia   Vacinas   Desenvolvimento de vacinas   Streptococcus pneumoniae

Resumo

Streptococcus pneumoniae é um importante patógeno humano, causando diversas doenças graves como meningite, pneumonia, bacteremia e sepse. As vacinas atualmente disponíveis são baseadas na resposta contra o polissacarídeo capsular, mas apresentam algumas desvantagens, como o elevado custo e cobertura restrita aos sorotipos contidos nas vacinas. O uso da vacina conjugada polissacarídica 7-valente resultou em uma drástica redução de doença invasiva causada por sorotipos vacinais, mas houve uma rápida substituição por sorotipos não-vacinais. Além disso, essas vacinas apresentam uma eficácia bem mais baixa contra doenças não-invasivas, incluindo pneumonia. Desse modo, o desenvolvimento de novas vacinas contra pneumococo continua sendo uma prioridade e estratégias alternativas estão sendo avaliadas, como o uso de antígenos proteicos. Diversas proteínas recombinantes expressas em Escherichia coli estão sendo estudadas atualmente como antígenos vacinais, destacando-se PspA (Pneumococcal surface protein A). PspA apresenta variabilidade em diferentes isolados e nosso grupo havia demonstrado que algumas variantes de PspA são capazes de induzir anticorpos com maior reatividade cruzada com as diferentes linhagens de pneumococo. Demonstramos ainda a capacidade dessas variantes de PspA em induzir proteção em modelos de desafio intranasal letal e de colonização da nasofaringe de camundongos. Propomos testar agora a eficácia de uma formulação baseada em nanopartículas apresentando PspA contra pneumonia pneumocócica. A vacina será administrada na forma de pó diretamente no pulmão de camundongos através da utilização de um insuflador pulmonar. A utilização de uma formulação na forma de pó reduziria bastante o custo da vacina, já que o transporte poderia ser feito à temperatura ambiente sem necessidade de uma cadeia de refrigeração. Para imunização, será utilizado PspA adsorvido em nanopartículas baseadas em PGA-co-PDL (poli(glicerol adipato-co-É-pentadecalactona), um poliéster biodegradável. As nanopartículas serão formuladas em carregadores microparticulados, adequados à inoculação pulmonar com insuflador. Espera-se que as nanopartículas possam apresentar o antígeno eficientemente a células dendríticas do pulmão, conferindo proteção contra pneumonia. A indução de resposta imune será avaliada através da dosagem de anticorpos no soro e no pulmão, além da análise da produção de citocinas por células do pulmão e baço de animais imunizados e estimulados in vitro com o antígeno PspA. A eficácia da imunização na proteção contra pneumonia será avaliada através de dois modelos de desafio intranasal: o primeiro causa pneumonia não-invasiva e o segundo causa pneumonia seguida de invasão e morte.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RODRIGUES, TASSON C.; OLIVEIRA, MARIA LEONOR S.; SOARES-SCHANOSKI, ALESSANDRA; CHAVEZ-RICO, STEFANNI L.; FIGUEIREDO, DOUGLAS B.; GONCALVES, VIVIANE M.; FERREIRA, DANIELA M.; KUNDA, NITESH K.; SALEEM, IMRAN Y.; MIYAJI, ELIANE N. Mucosal immunization with PspA (Pneumococcal surface protein A)-adsorbed nanoparticles targeting the lungs for protection against pneumococcal infection. PLoS One, v. 13, n. 1 JAN 23 2018. Citações Web of Science: 11.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.