Busca avançada
Ano de início
Entree

A parestesia como um novo parâmetro de estudo para a síndrome do pânico: da pesquisa básica à clínica

Processo: 14/10742-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2014
Vigência (Término): 29 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Norberto Cysne Coimbra
Beneficiário:Audrey Franceschi Biagioni
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/18218-0 - O nanomaterial como uma ferramenta em potencial para o tratamento dos transtornos de ansiedade: um estudo pré-clínico com um nanomaterial a base de carbono que modula a neurogênese e a sinapse no hippocampus, BE.EP.PD
Assunto(s):Sistema respiratório   Parestesia   Neuropsicofarmacologia

Resumo

A parestesia, uma sensação de formigamento ou dormência, é um sintoma neurológico que comumente precede ataques de pânico de natureza grave. Recentemente, várias investigações têm relacionado alterações ventilatórias aos ataques de pânico. A síndrome da hiperventilação, caracterizada pelo aumento da frequência e intensidade das incursões respiratórias, é frequentemente observada durante os ataques de pânico, e está presente em cerca de 40% dos pacientes com o transtorno do pânico. Nesse sentido, foi descrito que o teste de indução de ataques de pânico por hiperventilação aguda (30 ciclos/min por 4 minutos) é considerado um método simples de validação do diagnóstico para pacientes com a síndrome do pânico. Esse teste causa ansiedade, sensação de pânico, tremores, tonturas, crises de choro e parestesia. Porém, a farmacoterapia utilizada para o tratamento da síndrome do pânico, como os inibidores seletivos da recaptação de serotonina, não parece ser eficaz no controle da parestesia, pois pacientes tratados com essas classes de medicamentos apresentam parestesia até 8 meses após o início do tratamento. A falta de um modelo animal para o estudo da parestesia inviabiliza o avanço dos estudos nesse âmbito. O modelo animal de antinocicepção induzida pelo medo pode ser um modelo apropriado para o estudo desse sintoma, pois tanto a parestesia quanto a antinocicepção induzida pelo medo são decorrentes da modulação da transmissão sináptica entre neurônios sensitivos localizados na medula espinhal, por meio do aumento de atividade no sistema endógeno de modulação da dor. O objetivo do presente trabalho consiste em estudar o efeito analgésico induzido pela hiperventilação em ratos e em seres humanos, para validação de face de um modelo animal para o estudo da parestesia e propor um tratamento coadjuvante da síndrome do pânico para pacientes que apresentam parestesia. Para isso, serão realizados estudos de pesquisa básica e clínica. Na pesquisa básica, será realizado um estudo para avaliação do efeito antinociceptivo induzido pela hiperventilação causada pela administração de três diferentes doses de NMDA na coluna ventro-lateral da substância cinzenta periaqueductal de ratos. Também será realizado um estudo do efeito da lesão neuroquímica, com administração local de ácido ibotênico, no núcleo do trato solitário de roedores para avaliação do envolvimento desse substrato neural no controle da hiperventilação, nas respostas comportamentais defensivas e na antinocicepção induzida pelo medo evocadas pela estimulação química da substância cinzenta periaqueductal, em sua coluna ventro-lateral, de ratos. Em grupos independentes de animais, será determinado o efeito do tratamento com naltrexone, 2 mg/kg, em animais pré-tratados com paroxetina (10 mg/Kg) nas respostas comportamentais defensivas, na hiperventilação e na antinocicepção induzida pelo medo evocados pela estimulação química da substância cinzenta periaqueductal ventro-lateral de ratos.Na pesquisa clínica, será realizado um estudo para investigar a prevalência de parestesia, induzida pela hiperventilação aguda (30 ciclos/min, durante 4 minutos), em pacientes que recebem tratamento farmacológico adequado para o transtorno do pânico. Também será avaliado a correlação entre o efeito analgésico e a parestesia induzidos a hiperventilação aguda em pacientes diagnosticados com a síndrome do pânico e tratados adequadamente. Por fim, será avaliado o efeito do tratamento com naltrexone, 50 mg por via oral em dose única, nas sensações de medo, na parestesia e analgesia induzidas pela hiperventilação aguda em pacientes com a síndrome do pânico. (AU)

Publicações científicas (7)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE OLIVEIRA, RITHIELE CRISTINA; DE OLIVEIRA, RICARDO; FALCONI-SOBRINHO, LUIZ LUCIANO; BIAGIONI, AUDREY FRANCESCHI; ALMADA, RAFAEL CARVALHO; DOS ANJOS-GARCIA, TAYLLON; BAZAGLIA-DE-SOUSA, GUILHERME; KHAN, ASMAT ULLAH; COIMBRA, NORBERTO CYSNE. Neurotoxic lesions of the pedunculopontine tegmental nucleus impair the elaboration of postictal antinociception. Physiology & Behavior, v. 194, p. 162-169, OCT 1 2018. Citações Web of Science: 1.
DA SILVA, JULIANA ALMEIDA; BIAGIONI, AUDREY FRANCESCHI; ALMADA, RAFAEL CARVALHO; DE FREITAS, RENATO LEONARDO; COIMBRA, NORBERTO CYSNE. Panicolytic-like effects caused by substantia nigra pars reticulata pretreatment with low doses of endomorphin-1 and high doses of CTOP or the NOP receptors antagonist JTC-801 in male Rattus norvegicus. Psychopharmacology, v. 234, n. 20, p. 3009-3025, OCT 2017. Citações Web of Science: 7.
BIAGIONI, AUDREY FRANCESCHI; DE OLIVEIRA, RITHIELE CRISTINA; DE OLIVEIRA, RICARDO; DA SILVA, JULIANA ALMEIDA; DOS ANJOS-GARCIA, TAYLION; RONCON, CAMILA MARRONI; CORRADO, ALEXANDRE PINTO; ZANGROSSI, JR., HELIO; COIMBRA, NORBERTO CYSNE. 5-Hydroxytryptamine(1A) receptors in the dorsomedial hypothalamus connected to dorsal raphe nucleus inputs modulate defensive behaviours and mediate innate fear-induced antinociception. European Neuropsychopharmacology, v. 26, n. 3, p. 532-545, MAR 2016. Citações Web of Science: 17.
BIAGIONI, AUDREY FRANCISCO; DOS ANJOS-GARCIA, TAYLLON; ULLAH, FARHAD; FISHER, ISAAC RENE; FALCONI-SOBRINHO, LUIZ LUCIANO; DE FREITAS, RENATO LEONARDO; FELIPPOTTI, TATIANA TOCCHINI; COIMBRA, NORBERTO CYSNE. Neuroethological validation of an experimental apparatus to evaluate oriented and non-oriented escape behaviours: Comparison between the polygonal arena with a burrow and the circular enclosure of an open-field test. Behavioural Brain Research, v. 298, n. B, p. 65-77, FEB 1 2016. Citações Web of Science: 15.
DE OLIVEIRA, RITHIELE CRISTINA; DE OLIVEIRA, RICARDO; BIAGIONI, AUDREY FRANCISCO; FALCONI-SOBRINHO, LUIZ LUCIANO; COIMBRA, NORBERTO CYSNE. Dorsal raphe nucleus acetylcholine-mediated neurotransmission modulates post-ictal antinociception: The role of muscarinic and nicotinic cholinergic receptors. Brain Research, v. 1631, p. 80-91, JAN 15 2016. Citações Web of Science: 2.
ULLAH, FARHAD; DOS ANJOS-GARCIA, TAYLLON; DOS SANTOS, IEDA REGINA; BIAGIONI, AUDREY FRANCISCO; COIMBRA, NORBERTO CYSNE. Relevance of dorsomedial hypothalamus, dorsomedial division of the ventromedial hypothalamus and the dorsal periaqueductal gray matter in the organization of freezing or oriented and non-oriented escape emotional behaviors. Behavioural Brain Research, v. 293, p. 143-152, OCT 15 2015. Citações Web of Science: 26.
DA SILVA, JULIANA ALMEIDA; BIAGIONI, AUDREY FRANCISCO; ALMADA, RAFAEL CARVALHO; DE SOUZA CRIPPA, JOSE ALEXANDRE; CECILIO HALLAK, JAIME EDUARDO; ZUARDI, ANTONIO WALDO; COIMBRA, NORBERTO CYSNE. Dissociation between the panicolytic effect of cannabidiol microinjected into the substantia nigra, pars reticulata, and fear-induced antinociception elicited by bicuculline administration in deep layers of the superior colliculus: The role of CB1-cannabinoid receptor in the ventral mesencephalon. European Journal of Pharmacology, v. 758, p. 153-163, JUL 5 2015. Citações Web of Science: 12.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.