Busca avançada
Ano de início
Entree

Autofagia em neurônios hipotalâmicos na obesidade

Processo: 14/17384-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 29 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Licio Augusto Velloso
Beneficiário:Roberta Barbizan Petinari
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07607-8 - CMPO - Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Obesidade e Doenças Associadas, AP.CEPID
Assunto(s):Hipotálamo   Autofagia   Dieta hiperlipídica

Resumo

Obesidade resulta da quebra do equilíbrio entre ingestão e gasto calórico, prevalecendo o primeiro sobre o segundo. Uma vez que abordagens comportamentais, como dietas e estímulo à prática desportiva têm se revelado insuficientes para conter o avanço deste fenômeno epidemiológico, acredita-se que somente o desenvolvimento de novas metodologias profiláticas e terapêuticas trará resultados satisfatórios no controle desta doença. Por ser o hipotálamo o órgão responsável pelo controle coordenado da fome e do gasto energético, acredita-se que a completa caracterização de sua regulação funcional poderá oferecer novas perspectivas para o tratamento da obesidade. Estudos recentes revelaram que o consumo de dietas ricas em gorduras saturadas leva à ativação de um processo inflamatório no hipotálamo que resulta no comprometimento de sua atividade fisiológica na regulação da homeostase energética. Tal processo inflamatório pode induzir apoptose de neurônios que participam do processo. No presente projeto, avaliaremos o efeito de ácidos graxos saturados sobre indução de autofagia em neurônios do hipotálamo e sua possível participação na indução de apoptose neuronal. Autofagia é um processo celular que leva à utilização de substratos estruturais para produção de energia visando proteger a célula em situações de risco com carência nutricional, inflamação e déficit de irrigação sanguínea. Caso o estímulo nocivo possa ser controlado, a célula volta ao seu padrão funcional basal, caso contrário evoluirá para apoptose. Camundongos serão submetidos ao protocolo de obesidade induzida por dieta e a presença e distribuição de neurônios em autofagia será avaliada por microscopia eletrônica de transmissão. Ainda, a modulação da inflamação hipotalâmica será realizada por métodos farmacológicos e genéticos e seu impacto sobre a autofagia será explorada. Acreditamos que este estudo possa contribuir para o avanço na compreensão dos mecanismos fisiopatológicos envolvidos na disfunção hipotalâmica na obesidade.