Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de crotalfina sobre culturas celulares agregantes de cérebro de rato

Processo: 14/24245-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Yara Cury
Beneficiário:César Manuel Remuzgo Ruiz
Supervisor no Exterior: Florianne Tschudi-Monnet
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université de Lausanne (UNIL), Suíça  
Vinculado à bolsa:11/09333-7 - Crotalfina: análogos fluorescentes e estudo de seu mecanismo de ação em culturas e co-culturas de neurônios e queratinócitos, BP.PD

Resumo

A crotalfina é um peptídeo de 14 aminoácidos isolado do veneno de Crotalus durissus terrificus "cascavel" que desencadeia antinocicepção de longa duração (3-5 días) mediada pelos receptores kappa-opioides (modelos de dor aguda) ou kappa- e delta-opioides (modelos de dor crônica). A crotalfina induz a ativação dos receptores kappa-opioides e canabinoides CB2 com local liberação de dinorfina A como foi observado nos tecidos da pata. A ativação dos receptores kappa-opioides depende da ativação dos receptores canabinoides CB2 periféricos. Em ratas sensibilizadas com PGE2, a crotalfina incrementa a ativação de proteíno-quinases ativadas por mitógeno (MAPK) sendo este processo dependente da ativação de proteíno-quinases C ¾ (PKC ¾). Por outro lado, estudos realizados com macrófagos peritoneais residentes e estimulados com LPS indicaram que a crotalfina inibe a fagocitose, a liberação de H2O2 e a produção de óxido nítrico. Ainda, a crotalfina incrementa a secreção de IL-1², modula a secreção de IL-6 e inibe a secreção de TNF±.As culturas celulares agregantes de cérebro são culturas primárias tridimensionais de flutuação livre obtidos de cérebros de embriões de ratos que mostram os mesmos tipos celulares encontrados neste órgão tais como células-tronco e progenitoras neurais, neurônios, glias (astrócitos, oligodendrócitos e micróglias), retém a capacidade de sofrer interações célula-célula e amadurecimento histotípico durante o tempo de cultura (até vários meses). Devido a estas características, as culturas celulares agregantes de cérebro têm sido usadas com sucesso na avaliação de neurotoxicidade aguda e subcrônica, desmielinização, processos hipoglicêmicos e patogênicos relacionados a isquemia, em neuroinflamação e modelos neurodegenerativos.Estudos recentes indicaram que os receptores canabinoides CB2 participam na atividade neuroprotetora através de suas ações anti-inflamatórias.O objetivo do presente estudo é avaliar o efeito da crotalfina sobre as culturas celulares agregantes de cérebro investigando seu efeito sobre algum tipo celular específico e analisando se a crotalfina pode ter um potencial efeito anti-inflamatório, pode prevenir a desmielinização induzida por IFN-³ e LPS, ou pode promover a remielinização após este processo. (AU)