Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação do eletrocardiograma em pacientes com comportamento sedentário e não sedentário com insuficiência cardíaca e fração de ejeção reduzida

Processo: 14/12339-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Meliza Goi Roscani
Beneficiário:Letícia Vecchi Leis
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Remodelação ventricular   Exercício físico   Função ventricular   Capacidade funcional   Cardiologia

Resumo

Proposta: A insuficiência cardíaca (IC) é uma síndrome multifatorial, considerada a principal causa de internações por doenças cardiovasculares e significativo fator de piora da qualidade de vida. Há consenso de que o estilo de vida não sedentário melhora a função cardiovascular e a qualidade de vida de pacientes com IC com fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE) reduzida. Os estudos atuais demonstram que, apesar de não ser exame diagnóstico, o eletrocardiograma (ECG) é importante instrumento de triagem e que algumas de suas alterações tais como aumento do intervalo PR e da duração do QRS são marcadores efetivos de pior prognóstico em paciente com IC. Além disso, o ECG é exame de fácil acesso, baixo custo e rápida realização. Tendo em vista que, em pacientes com IC e FEVE reduzida, existem alterações no ECG correlacionadas a pior prognóstico e também relação entre comportamento sedentário e pior capacidade cardiovascular, suspeita-se que sejam encontradas alterações eletrocardiográficas sugestivas de pior prognóstico em pacientes com IC e FEVE reduzida com comportamento sedentário. Objetivos: comparar as anormalidades eletrocardiográficas presentes em pacientes com comportamento sedentário e não sedentário em pacientes com IC e FEVE reduzida e associá-las à função cardiovascular e escala de qualidade de vida. Metodologia: estudo prospectivo transversal em 40 pacientes com IC com FEVE reduzida. Será aplicada escala de sedentarismo e de qualidade de vida, sendo então divididos em dois grupos: sedentários (S) e não sedentários (NS). A seguir, avaliação clínica, exame físico, eletrocardiograma e ecocardiograma serão realizados para comparação estatística entre os dois grupos. Resultados esperados: espera-se encontrar anormalidades eletrocardiográficas no grupo S que se correlacionem com piora na função cardiovascular e qualidade de vida. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)