Busca avançada
Ano de início
Entree

Grievances e os conflitos no local de trabalho das estradas de ferro de Chicago, 1946-1958

Processo: 14/22523-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História da América
Pesquisador responsável:Fernando Teixeira da Silva
Beneficiário:Pedro Mayer Bortoto
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/21979-5 - Entre a escravidão e o fardo da liberdade: os trabalhadores e as formas de exploração do trabalho em perspectiva histórica, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):15/11144-9 - Grievances e os conflitos no local de trabalho das estradas de ferro de Chicago, 1946-1958, BE.EP.DR
Assunto(s):História do trabalho   Negociação coletiva   Século XX   Relações trabalhistas   Ferroviários

Resumo

O presente projeto pretende analisar um conjunto de grievances (queixas/reclamações) trabalhistas de ferroviários na cidade de Chicago entre 1946 e 1958. Após uma análise da bibliografia sobre o funcionamento do sistema de negociação coletiva (collective bargaining), trato das principais abordagens historiográficas das grievances. Como primeiro passo, examino o ponto de vista da área de Relações Industriais (Industrial Relations) como um dos elementos do processo de barganha entre empregadores e empregados e parte de uma narrativa pautada pela noção do consenso entre empresários, sindicatos e o Estado. Em seguida, apresento as críticas a essa visão acerca da negociação coletiva. Primeiro, a proposta do Critical Legal Studies que compreende as transformações do collective bargaining no pós-guerra como uma força de dominação dos trabalhadores pela elite e pelo Estado. Segundo, o esforço da "nova história do trabalho" nas décadas de 1960 a 1980 de entender a agência do trabalhador em finais do século XIX e ao longo do século XX, reforçando o entendimento de limitação do movimento operário por meio do conceito de New Deal Order. Terceiro, em face dos movimentos de reconhecimento das identidades na década de 1990, as análises historiográficas da luta entre maiorias e minorias sociais olharam para as queixas como meios, mesmo que limitados, para que os trabalhadores pudessem lutar em seu próprio benefício. Por fim, procuro mostrar que, apesar dos avanços historiográficos, não houve estudos sistemáticos em torno da questão das grievances. Nesse sentido, o presente projeto pretende fazê-lo a partir da articulação entre uma análise quantitativa, por meio de banco de dados para extrair as características gerais da forma como os trabalhadores utilizavam essa forma de negociação, e uma leitura intensiva da documentação para entender as experiências individuais dos trabalhadores tendo em vista a condição da classe operária do período a partir dos conflitos surgidos nos locais de trabalho.