Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação dos efeitos biológicos e farmacológicos do extrato de Chlorella Vulgaris em tumores xenográficos provenientes de linhagens de células leucêmicas

Processo: 14/16026-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Sara Teresinha Olalla Saad
Beneficiário:Stéphany Oliveira Bastos
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51959-0 - Biologia das doenças neoplásicas da medula óssea, AP.TEM
Assunto(s):Leucemia   Células tumorais   Hematologia   Células estromais   Medula óssea   Chlorella vulgaris

Resumo

O uso de substâncias naturais para prevenção e tratamento do câncer representa uma opção realista para o combate à doença. Dentre os compostos que vêm se destacando ultimamente, o extrato da alga unicelular Chlorella vulgaris (CV) recebe destaque por apresentar ação antitumoral e moduladora sobre o sistema imune e no combate a células tumorais. Portanto, a investigação da possível influência do extrato de CV na proliferação e manutenção de células neoplásicas da medula óssea torna-se importante. O Laboratório de Biologia Molecular do Hemocentro já trabalha com a utilização da CV em linhagens celulares que representam leucemias agudas (KG-1, HL-60, U937, Jurkat e Molt) e crônicas (K562) e mielodisplasia (MDS-L e P39). Estas estão sendo cultivadas com a presença do extrato de CV, e o seu comportamento genotípico e fenotípico, proliferativo e de morte celular por apoptose está sendo avaliado. Contudo, ainda se faz necessária a validação destes resultados em modelos in vivo. Assim, este projeto tem como objetivo o desenvolvimento de modelos animais (com tumores subcutâneos e leucemia induzida) para analisar o efeito do extrato de CV in vivo para que, no futuro, o mesmo possa ser utilizado junto ao tratamento clínico das leucemias. As células leucêmicas serão inoculadas em 3 grupos de animais: 1) uso de placebo; 2) uso prévio de CV e manutenção até o sacrifício dos animais; e 3) introdução de CV 7 dias após inoculação das células leucêmicas. O extrato de CV será administrado por gavagem. Após 21 dias da inoculação das células leucêmicas, os animais serão sacrificados, e os tumores, analisados para morte celular por técnica de túnel, e expressão de caspases 3, 8 e 9 ativadas, por imunohistoquímica. Além disso, por western blotting, serão analisadas proteínas envolvidas na proliferação celular (como EGFR, AKT , NFk-², JAK e STAT) e de morte celular (família Bcl2).