Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma análise experimental da Contribuição e Distribuição de rendimentos no Public Goods Game

Processo: 14/15457-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Antonio Celso de Noronha Goyos
Beneficiário:André Luíz Ferreira
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Teoria dos jogos   Corrupção   Análise do comportamento

Resumo

A corrupção tem se constituído como um grande problema social, econômico e político. No entanto, sua constituição enquanto problema comportamental tem sido negligenciada. Sendo um problema comportamental, há inúmeras possibilidades para a Análise do Comportamento estudar o fenômeno e propor soluções e intervenções, na direção de tornar menos freqüente a ocorrência do comportamento corrupto. Como fenômeno social, a Corrupção pode ser analisada por uma vasta literatura produzido pela Análise do Comportamento, não apenas com relação a estudos conceituais, mas principalmente, com dados oriundos do laboratório. A teoria dos jogos tem sido uma grande aliada da Análise do Comportamento no estudo laboratorial de fenômenos sociais. O jogo Public Goods pode ser utilizado para estudar comportamentos colaborativos e cooperativos entre jogadores, e seu protocolo abre inúmeras possibilidades para estudar diversos fenômenos sociais, entre eles, a corrupção. O objetivo do trabalho é utilizar o jogo Public Goods para analisar quais são as variáveis envolvidas no controle do comportamento caracterizado como corrupto, a partir das escolhas feitas pelos jogadores no decorrer das tentativas. O Public Goods funciona com um fundo de investimento onde os jogadores depositam quantidades de fichas ou dinheiro em um fundo comum, que retorna o lucro para todos os jogadores, mesmo para aqueles que não investiram nenhuma quantidade. O jogo será dividido em quatro fases, onde um jogador real irá jogar com outros cinco jogadores virtuais, em busca do acúmulo do maior número de fichas possível. Na primeira fase, o experimentador irá aplicar o protocolo original do jogo, para modelar o comportamento do jogador em responder ao Public Goods. Na segunda fase, o experimentador irá manipular o acesso que o jogador real tem com relação a quantidade de fichas que os demais jogadores possuem. Na terceira fase, o experimentador irá inserir um fundo social, que terá apenas a função de arrecadar doações, não efetuando divisões de lucro. Na quarta fase, o experimentador dará a função de administrador de ambos os fundos ao jogador real, e ele será o responsável por dividir os rendimentos de ambos os fundos. Será utilizado delineamento intrassujeitos. Serão 30 sujeitos, 24 estudantes universitários e seis Asperger, de ambos os sexos. Assim, esperasse verificar quais contingências estiveram envolvidas na tomada de decisão dos jogadores, principalmente no que tange a divisão dos lucros produzidos pelos fundos. Jogos como o empregado nessa pesquisa são importantes porque permitem: analisar as contingências envolvidas na tomada de decisão das pessoas; caracterizar as escolhas, como cooperativa e não cooperativa e efetuar interpretações com fundamentação empírica acerca do fenômeno observado, generalizando os resultados com relação situações reais.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: