Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da hipóxia na ativação da imunidade inata na progressão da doença renal crônica associada ao modelo de ablação renal de 5/6

Processo: 13/26726-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Roberto Zatz
Beneficiário:Lisienny Campoli Tono Rempel
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/10926-5 - Patogênese e terapêutica da doença renal crônica: papel da imunidade inata na lesão de glomérulos, túbulos e interstício, AP.TEM
Assunto(s):Hipóxia   Imunidade inata   Nefrologia

Resumo

A doença renal crônica (DRC) envolve uma série de eventos inflamatórios que induzem a fibrose do parênquima renal. Não se sabe por que esses processos são desencadeados mesmo na ausência de antígenos microbianos ou outras proteínas estranhas ao organismo. A descoberta dos receptores toll-like (TLRs) e inflamassomas, assim como sua interação com o sistema NF-kB, pode colaborar no esclarecimento dessa questão. Em nefropatias progressivas, é possível que a ativação da imunidade inata represente o elo entre eventos inespecíficos, como o estiramento da parede glomerular, e processos inflamatórios que levam à glomeruloesclerose e à fibrose renal. Atualmente, existe a hipótese de que a hipóxia tenha um papel importante na DRC. Tem sido demonstrado que a via final comum de destruição renal envolve não só a fibrose intersticial e atrofia tubular como também a rarefação capilar peritubular. Estudos sugerem que a hipóxia intersticial relacionada à regressão da rarefação e/ou vasoconstrição arteriolar seja um evento primário na DRC. É possível também que os estados anêmicos possam predispor o tecido renal a processos inflamatórios, e que a hipóxia leve a uma progressão da nefropatia através da ativação da imunidade inata, tendo os TLRs e inflamassomas como participantes nesse processo. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho é avaliar se a hipóxia crônica ativa a imunidade inata e se esta tem um papel patogênico na progressão da doença renal crônica. Para tanto, ratos controle e com ablação renal de 5/6 (Nx) serão distribuídos em quatro grupos experimentais durante sessenta dias: S (animais controle mantidos sob normóxia); S+H (animais controle mantidos sob hipóxia - 12% O2); Nx (animais Nx mantidos sob normóxia); Nx + H (animais Nx mantidos sob hipóxia - 12% O2). Todos os grupos receberão uma dieta pobre em ferro com o intuito de prevenir a poliglobulia compensatória. Os animais terão seu peso corpóreo verificado semanalmente; a pressão arterial caudal, relação Ualb/Ucreat e hematócrito serão avaliados mensalmente. Ao término do estudo será coletada amostra de sangue, e o rim será devidamente fixado para análise histomorfométrica do dano glomerular e expansão intersticial; e de imunohistoquímica para detecção de marcadores de hipóxia, componentes da imunidade inata, mediadores inflamatórios e fibrose. Como marcadores de hipóxia, serão utilizados anticorpos anti-HIF-1±, anti-HIF-2² e antiadutos de pimonidazol, os quais serão quantificados e associados à expressão de moléculas relacionadas aos TLRs e demais parâmetros citados. Para investigar o possível desenvolvimento de fibrose renal secundária à hipóxia, células tubulares proximais de rato serão cultivadas e mantidas em estufa com baixa tensão de O2. Posteriormente, essas células serão marcadas com anticorpos anti-E-caderina, anti-vimentina e anti-±-actina para avaliar um possível processo de transdiferenciação a miofibroblastos. Além disso, tanto nos experimentos in vivo como in vitro serão utilizadas as técnicas de PCR-array para detectar a ativação de genes ligados à imunidade inata, e de Western blot para avaliar a produção de proteínas específicas, como o HIF. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TONO REMPEL, LISIENNY CAMPOLI; FAUSTINO, VIVIANE DIAS; FORESTO-NETO, ORESTES; FANELLI, CAMILLA; ALARCON ARIAS, SIMONE COSTA; DA SILVA MOREIRA, GIZELY CRISTINA; NASCIMENTO, THALITA FABIANA; AVILA, VICTOR FERREIRA; COSTA MALHEIROS, DENISE MARIA AVANCINI; SARAIVA CAMARA, NIELS OLSEN; FUJIHARA, CLARICE KAZUE; ZATZ, ROBERTO. Chronic exposure to hypoxia attenuates renal injury and innate immunity activation in the remnant kidney model. AMERICAN JOURNAL OF PHYSIOLOGY-RENAL PHYSIOLOGY, v. 317, n. 5, p. F1285-F1292, NOV 2019. Citações Web of Science: 0.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
REMPEL, Lisienny Campoli Tono. Papel da hipóxia na ativação da imunidade inata e na progressão da doença renal crônica associada ao modelo de ablação renal de 5/6. 2018. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.