Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise "in vitro" da citotoxicidade de soluções utilizadas na desinfecção de próteses oculares em células da conjuntiva ocular

Processo: 14/25714-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Daniela Micheline dos Santos
Beneficiário:Letícia de Oliveira Gonçalves
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Desinfecção   Citotoxicidade   Olho artificial   Prótese bucomaxilofacial

Resumo

O controle de formação de biofilme é muito importante para manter a saúde da cavidade anoftálmica dos portadores de prótese ocular e pode ser realizado por meio de técnicas de limpeza e desinfecção diárias, com diferentes soluções encontradas no mercado. Embora o efeito citotóxico dessas soluções tenha sido testado em diferentes células, não há relato sobre seu efeito nas células da cavidade anoftálmica. Assim, esse estudo objetiva avaliar o potencial citotóxico de diferentes soluções desinfetantes nas células da conjuntiva ocular humana. Para isso, serão confeccionadas amostras de resina acrílica N1, na cor branca, específica para confecção de esclera artificial. As amostras de resina acrílica serão distribuídas em 6 grupos de acordo com a solução utilizada: I - Sem desinfecção (imersas em soro fisiológico); II - Sabão neutro; III - Clorexidina 4%; IV - Efferdent; V - Triclosan 1% e VI - Citronela. As amostras serão desinfetadas diariamente, por diferentes períodos: 1, 7, 15, 30, 60 e 90 dias, de acordo com o protocolo de desinfecção de cada solução. Após cada período, será realizado o teste de citotoxicidade das amostras de resina acrílica, por meio da análise com MTT, após 24 horas de contato das células com o extrato liberado pelas amostras desinfetadas. Os dados obtidos nos ensaios serão submetidos aos testes de normalidade, a fim de se determinar se os mesmos provêm ou não de uma distribuição normal. Caso seja indicada diferença estatística significativa, será aplicado o teste de probabilidade adequado, concluindo a análise.