Busca avançada
Ano de início
Entree

Definição de zonas homogêneas de manejo em milho utilizando veículo aéreo não tripulado (drones) interligado a modelagem e tecnologias para mapeamento da produtividade da cultura

Processo: 15/03146-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de maio de 2015
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:José Eduardo Corá
Beneficiário:José Eduardo Corá
Anfitrião: Bruno Basso
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Local de pesquisa : Michigan State University (MSU), Estados Unidos  
Assunto(s):Agricultura de precisão   Milho   Manejo do solo

Resumo

A produtividade das culturas varia espacialmente e mapas produzidos pelos sistemas de monitor de produtividade são evidências do grau de variabilidade no campo. Interpretação das informações contidas em mapas de rendimento das culturas, de acordo com aspectos técnicos e econômicos, nem sempre são claras para os agricultores. Determinar a melhor estratégia de manejo para a cultura em um local dentro de um campo é um desafio. Modelos de simulação de culturas como o SALUS, integra os efeitos das interações temporais e múltiplas de estresse sobre os processos de crescimento da cultura em diferentes condições ambientais e de manejo. É óbvio que as simulações para a cultura se tornam inviáveis em todos os locais no campo, uma vez que o custo e a disponibilidade de insumos seriam proibitivos. Uma abordagem mais adequada para a aplicação de modelos de simulação de culturas em sistema de agricultura de precisão seria delinear zonas homogêneas de manejo dentro do um determinado campo, levando-se em conta o desempenho da cultura. O presente projeto propõe a utilização de microdrones (UAVs) para detecção de zonas homogêneas de manejo. Equipamentos montados no UAV irão fornecer imagens de reflectância espectral que serão transformadas em índices de vegetação. Esses índices serão interpretados e convertidos em informações como índice de cobertura do dossel, índice de área foliar, assim como índice do estado nutricional da planta, permitindo a discriminação de zonas homogêneas de desempenho da cultura, devido a diferentes fatores de estresse como deficiência de nutrientes, estresses hídrico, ervas daninhas, ou pragas. O modelo SALUS (Sistema de Abordagem de Uso do Solo de Sustentabilidade) será usado para reproduzir a variabilidade de rendimento da cultura, medido nas zonas consideradas homogêneas, visando estabelecer melhores estratégias de manejo.