Busca avançada
Ano de início
Entree

Tolerância biológica, efeitos subletais e bioacumulação em Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) expostos a contaminantes, via água e alimentação.

Processo: 14/13448-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2015
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Camilo Dias Seabra Pereira
Beneficiário:Luis Felipe de Almeida Duarte
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/05414-6 - Partição subcelular e biomarcadores específicos para exposição de metais traço na espécie sentinela de manguezais Ucides cordatus (Linnaeus, 1763)., BE.EP.PD
Assunto(s):Citotoxicidade   Ucides cordatus   Metais   Contaminação   Genotoxicidade   Ecotoxicologia

Resumo

Os manguezais são importantes ecossistemas costeiros que favorecem o acumulo de metais, o que vem chamando atenção mundial, principalmente pelos grandes impactos e riscos potenciais. Os contaminantes estimulam os organismos a gerarem respostas biológicas de defesa e/ou de dano que são passíveis de identificação e quantificação. No entanto, as espécies podem se tornar mais tolerantes quando submetidas a um contaminante por determinado período, fruto de uma aclimatação fisiológica obtida durante a vida ou de seleção genética. Nos manguezais contaminados de Cubatão (SP), existem relevantes evidências que a espécie Ucides cordatus (caranguejo-uçá) tenha desenvolvido uma maior resistência aos contaminantes, principalmente aos metais cádmio e chumbo, que inclusive já ultrapassaram os critérios de qualidade ambiental baseados em valores-guia que a CETESB adota. Além disso, estes metais e outros xenobióticos foram encontrados em altas concentrações nas folhas da Rhizophora mangle (o principal alimento deste crustáceo). Assim, os objetivos do projeto são: 1) Identificar se os espécimes de U. cordatus residentes do manguezal de Cubatão são, de fato, mais tolerantes à contaminação, por análise das respostas de biomarcadores de defesa e efeito, considerando duas vias exposição: a) Água (Exp. 1): contaminação pelos metais cádmio e chumbo; e b) Alimentação (Exp. 2): utilizando a salubridade conhecida das folhas de R. mangle; e 2) Quantificar os níveis de bioacumulação dos metais cádmio e chumbo em organismos expostos às concentrações consideradas seguras pela legislação CONAMA nº 357/2005, confrontando estes resultados aos limites permissíveis pelas leis brasileiras vigentes para alimentos (Decreto nº 55.871/1965 e Portaria nº 685/1998), bem como identificar os principais tecidos responsáveis pela bioacumulação desses metais neste crustáceo. Para tanto, dois experimentos serão realizados, expondo os animais (provenientes dos manguezais de Cubatão e da Juréia-Itatins) às duas vias de contaminação por 28 dias. Durante o período de exposição, em intervalos de 7 dias, serão analisados biomarcadores de defesa (metalotioneínas) e efeito (cometa, micronúcleo e integridade da membrana lisossômica). Após o término do experimento 1, serão dosados os metais (Cd e Pb) em subamostras de hemolinfa, hepatopâncreas, musculatura, brânquias e carapaça dos animais, bem como nas amostras de água para a validação das concentrações reais testadas. Sabe-se que as populações que são resistentes à contaminantes dispõem de menores performances biológicas, devido ao custo que a tolerância biológica impõe. A intensidade dos usos de mecanismos de defesa e reparo de danos determinam um gasto metabólico e estresse fisiológico que podem repercutir em impacto populacional. Existem estudos que mostram que a densidade do caranguejo-uçá em Cubatão (manguezal poluído) corresponde à metade daquela registrada para a Juréia-Itatins (manguezal prístino). Portanto, espera-se que os resultados a serem obtidos nos experimentos do presente projeto de pesquisa, venham a elucidar melhor sobre as supostas tolerâncias biológicas adquiridas, relacionando-as, indiretamente, à menor população destes animais nos manguezais contaminados. A partir disto, espera-se, também, levantar discussões a respeito dos critérios gerais de qualidade de ambientes aquáticos, considerando a tolerância biológica a qual as espécies possam estar submetidas. O projeto propõe, portanto, levantar informações cruciais ao bom desenvolvimento de planos de ação e manejo em âmbito nacional para os ecossistemas de manguezal.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE ALMEIDA DUARTE, LUIS FELIPE; BLASCO, JULIAN; MIRANDA CATHARINO, MARILIA GABRIELA; MOREIRA, EDSON GONCALVES; TROMBINI, CHIARA; NOBRE, CAIO RODRIGUES; MORENO, BEATRIZ BARBOSA; DE SOUZA ABESSA, DENIS MOLEDO; SEABRA PEREIRA, CAMILO DIAS. Lead toxicity on a sentinel species subpopulation inhabiting mangroves with different status conservation. Chemosphere, v. 251, JUL 2020. Citações Web of Science: 1.
FERNANDA AUGUSTO MOSCHETTO; ROBERTO PEREIRA BORGES; LUIS FELIPE DE ALMEIDA DUARTE. Population structure of Callichirus major (Say 1818) (Crustacea: Callianassidae) and conservation considerations at Southeast coast of Sao Paulo, Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 92, n. 1, p. -, 2020. Citações Web of Science: 0.
DE ALMEIDA DUARTE, LUIS FELIPE; BLASCO MORENO, JULIAN; MIRANDA CATHARINO, MARILIA GABRIELA; GONCALVES MOREIRA, EDSON; TROMBINI, CHIARA; SEABRA PEREIRA, CAMILO DIAS. Mangrove metal pollution induces biological tolerance to Cd on a crab sentinel species subpopulation. Science of The Total Environment, v. 687, p. 768-779, OCT 15 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.