Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação de funções efetoras de macrófagos por Klebsiella pneumoniae produtoras de ESBL

Processo: 14/26947-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Alexandra Ivo de Medeiros
Beneficiário:Flávio de Campos Mello Monteiro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Macrófagos

Resumo

Klebsiella pneumoniae, pertencente à família Enterobacteriaceae, é um bacilo Gram-negativo e principal de infecções nosocomiais pelo gênero Klebsiella, sendo a espécie de maior importância clínica. Os principais mecanismos de virulência de K. pneumoniae são: síntese de polissacarídeo capsular (CPS), produção de lipopolissacarídeos (LPS), sistemas de aquisição de ferro e adesinas fimbriais e não fimbriais. Embora infecções por K. pneumoniae possam ocorrer em qualquer sistema, os mais frequentes são respiratório e urinário.Neutrófilos e macrófagos exercem um papel crucial na eliminação de patógenos devido às eficientes capacidades fagocítica e microbicida destas células. Contam com a produção de mediadores inflamatórios como IL-1±/², TNF-± e KC, e a produção de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio como NO e H2O2, importantes fatores microbicidas. Entretanto, K. pneumoniae conta com diversos mecanimos de escape do sistema imunológico, como o próprio componente capsular e alterações em moléculas de superfície como o LPS. Além da alta capacidade de evasão, K. pneumoniae tem desenvolvido resistência a múltiplos antibióticos. Este estudo busca compreender os possíveis mecanismos de escape das funções efetoras de macrófagos em cepas de K. pneumoniae produtoras de ²-lactamases de espectro estendido (ESBL) obtidas a partir isolados clínicos. A hipótese do estudo é que as diferentes cepas produtoras de ESBL possam modular negativamente as funções efetoras de macrófagos, como fagocitose e atividade microbicida, resultando na proliferação e disseminação da bactéria e morte do hospedeiro.