Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo das habilidades sociais como relações entre atores, grupos e as unidades internas de governança

Processo: 14/24677-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Administração - Administração de Empresas
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Mário Sacomano Neto
Beneficiário:Paulo César Matui
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Habilidades sociais   Governança corporativa

Resumo

O objetivo desta pesquisa é estudar as habilidades sociais como relações entre atores, grupos e as unidades internas de governança (UIG) em um campo de ações estratégicas. Por habilidade social entendemos ser a capacidade de certos atores individuais em constituir uma "imagem positiva de si [para] exercerem influência sobre outros [atores] em suas ações estratégicas no campo" (FLIGSTEIN e MCADAM, 2012, p. 47). Por UIG entendemos serem atores coletivos cujo propósito é o de rotinizar e legitimar as práticas e entendimentos do campo (FLIGSTEIN e MCADAM, 2012, p. 205). Este projeto envolve uma pesquisa de casos como parte de uma ampla análise histórica de arquivos (YIN, 2005). O projeto contempla duas fases. A fase 01 envolverá um levantamento longitudinal, a partir de uma extração de dados da plataforma Lattes de todos os atores individuais do objeto de estudo que são Programas de Pós-Graduação (PPGs) do estado de São Paulo. Os dados coletados serão afiliação e relações profissionais agrupados por ano. Estes dados delimitarão o campo, atores individuais, atores coletivos e UIGs. Análise de documentos tais como regimentos, estatutos, leis, planos nacionais de incentivo e/ou indução. Por fim, será realizada pesquisa das publicações e discursos escritos dos atores do campo. Nesta fase, buscaremos identificar momentos de ruptura como processos de ajustes ou reconfigurações do campo. A fase 02 está dividida em duas etapas, a etapa "A" será o estudo de casos (atores individuais) que emergirem da Fase 1, e a etapa "B" contará com entrevistas estruturadas buscando por atributos cognitivos de redes e relações. Esperamos pelos seguintes resultados: Identificação de modelos relacionais para qualificação de atores sociais habilidosos; Descrever os grupos de interesse e grupos de poder; Identificar os atores sociais habilidosos; Identificar o campo; e por fim, identificar habilidade social relacional. (AU)