Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação dos níveis de ácido lipoteicóico e sintomatologia nas infecções primárias dos canais radiculares com lesão periapical durante o tratamento endodôntico

Processo: 14/27123-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luciane Dias de Oliveira
Beneficiário:Carolina Oliver da Silva
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Hipoclorito de sódio   Medicação intracanal   Necrose da polpa dentária

Resumo

Sabendo-se que o ácido lipoteicóico (LTA), embora ainda pouco estudado clinicamente, apresenta importante papel na etiologia das alterações pulpares e periapicais, o presente estudo tem como objetivo avaliar os níveis de ácido lipoteicóico (LTA) presentes em canais radiculares com necrose pulpar e lesão periapical visível radiograficamente, durante o tratamento endodôntico utilizando instrumentação mecanizada e hipoclorito de sódio 2,5%. Além disso, será realizada uma correlação entre a quantidade de LTA, tamanho da lesão periapical e sintomatologia clínica. Para tanto, serão utilizados 10 dentes uni-radiculares de pacientes com necessidade de tratamento endodôntico, os quais serão preparados biomecanicamente com o sistema de rotação alternada Reciproc e irrigados com hipoclorito de sódio 2,5%. Serão realizadas coletas do conteúdo do canal radicular imediatamente após a abertura coronária, após o preparo biomecânico, após o uso do EDTA trissódico 17% e após 14 dias de ação da medicação intracanal (hidróxido de cálcio com clorexidina gel 2%). Para todas as coletas será realizada a quantificação de ácido lipoteicóico (LTA) pelo teste imunoenzimático (ELISA). As lesões periapicais serão mensuradas por meio de tomografias computadorizadas realizadas no início do tratamento endodôntico, para posterior correlação com ácido lipoteicóico e sintomatologia. Os dados obtidos serão analisados estatisticamente pelos testes de Kruskall-Wallis, Dunn (nível de significância 5%) e Correlação Linear de Pearson.