Busca avançada
Ano de início
Entree

Narrativas do passado colonial: estudo sobre a prosa de ficção histórica na formação da literatura norte-americana (1809-1847)

Processo: 15/03514-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 15 de junho de 2015
Vigência (Término): 14 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História da América
Pesquisador responsável:Iris Kantor
Beneficiário:Bruno Franco Medeiros
Supervisor no Exterior: Hans Ulrich Gumbrecht
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Stanford University, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:13/16251-2 - Narrativas do passado colonial: estudo sobre a prosa de ficção histórica na formação da literatura norte-americana (1809-1847), BP.DR

Resumo

Este projeto de Estágio de Pesquisa no Exterior propõe uma investigação sobre as formas de narrativas históricas produzidas na primeira metade do século XIX nos Estados Unidos da América (1809-1849). Partimos da hipótese geral de que, dentre os gêneros históricos existentes, a produção de ficção histórica atendeu às demandas de determinados autores e seus públicos como forma de narrar um discurso histórico sobre o passado americano, a qual não coincidia necessariamente com aquele público ligado à disciplinarização da história no século XIX. Dentre os escritores norte-americanos que escreveram ficções históricas e/ou refletiram sobre seu caráter naquele período, escolhemos trabalhar com os seguintes autores: Washington Irving (1783-1859), James Fenimore Cooper (1789-1851) e William H. Prescott (1796-1859). Sendo assim, essa pesquisa divide-se em três eixos, os quais demonstram como tais autores enfrentaram uma série de problemas levantados pelo Romantismo, tais como: o debate sobre a singularidade americana versus o universalismo europeu; uma educação sentimental pautada na moralização da sociedade norte-americana frente à sua compreensão do passado e expectativa de futuro do país, bem como os climas ou fenômenos históricos presentes na atmosfera social na qual aqueles textos eram produzidos e/ou representavam. (AU)