Busca avançada
Ano de início
Entree

O fiel simples entre a catequese e a perdição (Península Ibérica - séculos XIV, XV e XVI)

Processo: 15/01953-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2015
Vigência (Término): 15 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Antiga e Medieval
Pesquisador responsável:Susani Silveira Lemos Franca
Beneficiário:Leandro Alves Teodoro
Supervisor no Exterior: Catherine Vincent
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Paris Ouest Nanterre La Défense (Paris 10), França  
Vinculado à bolsa:14/13125-9 - O cristão rude na mira dos confessores ibéricos (séculos XIV, XV e início do XVI), BP.PD
Assunto(s):Catequese

Resumo

No início do século XIV, vários prelados cultivados de Castela e Portugal começaram a elaborar constituições sinodais e catecismos em língua vernácula, para que os párocos e demais clérigos aprendessem não só a administrar suas paróquias, mas também a ensinar os princípios mais basilares da Igreja aos fiéis cristãos. Com ênfase, pois, no papel pedagógico desses dois tipos de obras prescritivas, a meta deste projeto é interrogar em que medida os fiéis julgados insipientes, nessa época, poderiam inserir em seu universo vocabular, por meio da catequese, expressões e termos religiosos que lhes ajudariam a naturalizar práticas reconhecidas como virtuosas e louváveis pelos cânones eclesiásticos. Mais precisamente, desdobrando um dos objetivos de minha pesquisa de pós-doutorado, O cristão "rude" na mira dos confessores ibéricos, que gira em torno do exame do papel da catequese e da confissão penitencial para o aperfeiçoamento das práticas de fiéis taxados de ignorantes, este projeto, a ser desenvolvido num período de seis meses no exterior, procura sondar os opúsculos moralizantes redigidos por bispos e arcebispos letrados, nos reinos de Castela e Portugal entre o século XIV e o limiar do XVI, com a finalidade de esquadrinhar as técnicas de ensino dos princípios morais considerados elementares nesses tempos. (AU)