Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa da viabilidade técnica e econômica do reuso de embalagens descartáveis de madeira no setor automotivo

Processo: 15/04583-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2015
Vigência (Término): 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Transportes - Operações de Transportes
Pesquisador responsável:Rogério Junqueira Machado
Beneficiário:Rainer Grassmann
Empresa:Reciclapac Soluções para Embalagens Ltda
Vinculado ao auxílio:14/50399-0 - Avaliação de viabilidade de reúso de caixas de madeira descartáveis na indústria automobilística, AP.PIPE
Assunto(s):Reúso

Resumo

A lei de resíduos sólidos, que entra em vigor no Brasil em 2014, estabelece a responsabilidade do gerador de resíduos para correta destinação dos mesmos, além de incentivar formas de retorno de embalagens à cadeia de produção e promover o desenvolvimento tecnológico de embalagens para redução de gasto de materiais e energia. Na indústria automobilística existe uma grande disponibilidade de embalagens de alta qualidade feitas de madeira, recebidas na importação, que são descartadas. No entanto, foi constatado que há possibilidade de reúso de tais embalagens pela mesma empresa ou seus fornecedores, especialmente na exportação de peças. Assim, o objetivo do projeto é estudar a viabilidade econômica e técnica de tal reúso. Serão feitas as seguintes pesquisas: 1)Análise de custos econômicos decorrentes do processo de movimentação, recuperação e recolocação em uso das embalagens, comparando-os com os custos de uma embalagem nova. 2)Criação de metodologias de controle da qualidade das caixas a serem reutilizadas para verificar a viabilidade de assegurar um processo seguro e em escala. 3)Verificação dos impactos econômicos e ambientais após o descarte 4) Permitir o desenvolvimento de alternativas de embalagens Com a geração de novo(s) ciclo(s) de vida (upcycling) os resultados esperados são a redução dos custos da ordem de 30% e a diminuição da quantidade de resíduos, proporcionando ganhos ambientais. A qualidade será avaliada em diversos momentos: no desenvolvimento do projeto, com testes e ensaios em protótipos; no controle de recebimento com verificações simples dos materiais, dimensões e montagens; no uso, com a identificação de eventuais problemas e no pós uso, com o controle do impacto ambiental do descarte. Para se permitir o reúso é necessário que se crie um novo sistema de qualidade em relação à estrutura (resistência e integridade), aos materiais (aparência, eventuais deteriorações e à estanqueidade)