Busca avançada
Ano de início
Entree

Sociedade do risco, novas formas de violência e os dilemas da cidadania: uma comparação entre Brasil e Estados Unidos

Processo: 15/01510-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 14 de junho de 2015
Vigência (Término): 13 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Milton Lahuerta
Beneficiário:Ana Paula Silva
Supervisor no Exterior: Nina Eliasoph
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Southern California (USC), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:12/17851-0 - Sociedade do risco, novas formas de violência e os dilemas da cidadania: uma comparação entre Brasil e Estados Unidos, BP.DR
Assunto(s):Cidadania   Cultura política   Capitalismo   Violência

Resumo

A noção de que novas formas de violência despontam no momento pós-fordista e que passam a ser vinculadas ao dilaceramento da cidadania e diminuição da centralidade do trabalho na vida social é fundamental para este trabalho. Tal reflexão tem dois conceitos que proporcionam uma estrutura teórica para esta pesquisa, quais sejam: o novo paradigma da violência (WIEVIORKA, 2009, 2013) e violência difusa (TAVARES DOS SANTOS, 2004). O objeto escolhido para análise são formas de violência que se originam pela impossibilidade de conviver com o "outro", ou seja, contra grupos minoritários, tais como, homossexuais, negros, moradores de rua, mas também com a inabilidade para lidar com opinião, comportamentos, estilos de vida diferentes. Mais especificamente, estão inseridas neste quadro tanto as violências de ódio (hate crimes), quanto os rampage shootings, assim como violência banal motivada por desentendimentos cotidianos, que tem aumentado no Brasil na última década. A proposta principal deste trabalho é compreender de que maneira as formas de violência abordadas estão incluídas no novo paradigma da violência, que é explicado, em grande medida, pela dificuldade de agir politicamente face às mudanças materiais e ideológicas promovidas pelo capitalismo flexível. O objetivo mais específico será evidenciar no Brasil e nos Estados Unidos de que modo os respectivos processos nacionais de construção da cidadania ajudam a compreender os impasses existentes à efetivação de uma dimensão de liberdade ancorada nas premissas do autogoverno e da ação política democrática. Esta segunda dimensão de análise faz parte do estudo comparado proposto, que se completará através da análise dos dados sobre as violências e a correlação a ser defendida entre os modelos de cidadania e tipos deste fenômeno social abordado. A finalidade do estágio de pesquisa no exterior é o aprofundamento do estudo proposto sobre os Estados Unidos, sobretudo a respeito das nuances e ambiguidades da cidadania norte-americana, assim como as especificidades da violência de ódio difusa neste país. (AU)