Busca avançada
Ano de início
Entree

Quantificação molecular de Leishmania em amostras provenientes de cães e suas implicações em saúde pública na região de Bauru, São Paulo

Processo: 15/02859-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Virgínia Bodelão Richini Pereira
Beneficiário:Barbara Suares de Almeida
Instituição-sede: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Zoonoses   Leishmaniose visceral animal   Leishmania   Cães   Quantificação   Prevalência   Reação em cadeia por polimerase (PCR)   Bauru (SP)

Resumo

As zoonoses causadas por tripanossomatídeos são doenças com sérias consequências sanitárias, sociais e econômicas em todo o mundo. As leishmanioses são causadas por diversas espécies de protozoários do gênero Leishmania que afeta principalmente os humanos e cães. A biologia molecular tornou-se uma das muitas ferramentas de diagnóstico que podem ser utilizadas para reforçar o conhecimento da epidemiologia das doenças. Assim, o objetivo do estudo é quantificar a carga parasitária de amostras positivas para leishmania por PCR em tempo real das amostras de cães da região de Bauru, São Paulo. Aprecia-se a necessidade do conhecimento da infecção natural na população canina como subsídios indispensáveis para a construção do planejamento, direcionamento e priorização das ações de vigilância e controle. A partir disso será possível avaliar a efetividade das ações com base em indicadores da prevalência da infecção. Além disso, o diagnóstico da leishmaniose canina possibilitará a compreensão dos fatores determinantes da expansão e/ou disseminação desta parasitose, pois essas informações poderão ser úteis no esclarecimento de pontos obscuros na epidemiologia, rotas de disseminação, na patogenia, na melhoria do diagnóstico laboratorial, em estudos filogenéticos e na prevenção da doença, bem como no desenvolvimento de fármacos e/ou vacinas.