Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação do bisfenol a e análogos em urina empregando microextração líquido-líquido dispersiva e cromatografia líquida de alta eficiência acoplada à espectrometria de massas

Processo: 15/04125-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Bruno Alves Rocha
Beneficiário:Bruno Ruiz Brandao da Costa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Toxicologia ambiental   Cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas   Monitoramento biológico

Resumo

Contaminantes emergentes referem-se às substâncias químicas cujo interesse por estudos associados à ocorrência e efeitos no ambiente é recente, além de uma escassez de dados relacionados à ocorrência destes contaminantes. Dentre os contaminantes emergentes destaca-se o bisfenol A (BFA), que vem sendo amplamente encontrado tanto em matrizes ambientais e biológicas em diversos países. Entre os diversos efeitos tóxicos já observados após a exposição a este composto se destacam os relacionados ao sistema endócrino. No Brasil ainda é escasso os dados relacionados à exposição a estes compostos na população, o que motivou a realização deste projeto de pesquisa. Neste sentido, a presente proposta tem como objetivo o emprego da microextração líquido-líquido dispersiva para a extração do bisfenol A e seus análogos em amostras de urina e determinação destes utilizando a cromatografia líquida acoplada ao detector de massas (LC-MS/MS). Para a realização deste trabalho duas etapas serão avaliadas: I) desenvolvimento de uma microextração líquido-líquido dispersiva (DLLME) para extração do bisfenol A e seus análogos em urina; II) desenvolvimento de uma metodologia analítica utilizando LC-ESI-MS/MS para determinação e quantificação do bisfenol A e análogos. Após a validação das metodologias analíticas, serão analisadas amostras de urina e finalmente, espera-se que os resultados deste estudo possam contribuir para o conhecimento dos níveis de exposição a uma classe de disruptores endócrinos ainda pouco estudado no Brasil.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.