Busca avançada
Ano de início
Entree

Parâmetros fisiológicos e produção de calor de cabras Saanen e anglo-nubiana em diferentes temperaturas

Processo: 14/26556-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2015
Vigência (Término): 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Márcia Helena Machado da Rocha Fernandes
Beneficiário:Carolina Isabel Soriano Oporto
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse térmico   Alta temperatura   Metabolismo animal   Metabolismo basal   Cabras

Resumo

O efeito de estresse térmico por calor em cabras pode ser evidenciado pelas respostas termorreguladoras relacionadas à frequência respiratória, volume respiratório minuto, termólise evaporativa respiratória, temperatura e sudorese; entretanto a magnitude da resposta é bastante dependente da raça, além de que estudos que relacionam estes mecanismos com a taxa de metabolismo basal ainda são escassos. Objetiva-se com este trabalho avaliar as diferenças entre cabras das raças Saanen e Anglo-Nubiana em relação à taxa metabólica, produção de calor em jejum e parâmetros fisiológicos quando expostas à temperatura de 20 e 35°C, usando o método de respirometria em circuito aberto com máscara facial. Serão utilizadas seis fêmeas caprinas da raça Anglo-Nubiana e seis fêmeas caprinas da raça Anglo Saanen, não lactantes e não-gestantes, com peso corporal inicial de 50 kg, submetidas a duas temperaturas ambientais (20 e 35°C). Os animais serão divididos em dois grupos de seis animais cada, contendo três cabras da raça Saanen e três cabras da raça Anglo-Nubiana. Para cada grupo, durante o período alimentado, será utilizado um delineamento de quadrado latino (6x6), com seis animais avaliados durante seis dias e em seis classes de horários (Classe de Hora 1: 07:00-9:00; Classe de Hora 2: 9:00-11:00; Classe de Hora 3: 11:00-13:00; Classe de Hora 4: 13:00-15:00; Classe de Hora 5: 15:00-17:00; Classe de Hora 6: 17:00-19:00). Desta forma cada dia de coleta compreenderá doze horas de observação e ao final de cada período de 6 dias, cada animal será observado entre 7:00 até às 19:00 horas. Após este período, os animais serão submetidos a jejum de 48 horas, a partir de quando será medida a produção de calor em jejum. Será avaliada a frequência respiratória, volume respiratório corrente, ventilação, temperatura retal, perda evaporativa, produção de calor e produção de calor em jejum. (AU)