Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma vacina dupla contra Streptococcus pneumoniae e Bordetella pertussis

Processo: 14/26154-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Maria Leonor Sarno de Oliveira
Beneficiário:Júlia Tavares de Castro
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Streptococcus pneumoniae   Bordetella pertussis   Desenvolvimento de vacinas

Resumo

Streptococcus pneumoniae (pneumococo) é uma das principais causas de pneumonia, meningite e infecções generalizadas em crianças no mundo todo. Estimativas recentes calculam que entre 700 000 e 1 milhão de pessoas morrem anualmente por infecções causadas por S. pneumoniae ao redor do mundo. A proteína A de Superfície de Pneumococo (PspA) é um antígeno bem caracterizado, que confere proteção em modelos animais, representando uma boa alternativa para as vacinas conjugadas atuais. A indução de resposta imune protetora direcionada a PspA em modelos animais já foi descrita, porém poucos adjuvantes de baixo custo, para a composição de uma vacina de subunidade, foram propostos até hoje. Recentemente, nosso grupo testou as propriedades adjuvantes da vacina celular pertussis (wP) produzida no Instituto Butantan, como adjuvante, em combinação com PspA. A vacina wP é um dos componentes da vacina tríplice DTP (difteria, tétano, pertussis) fornecida às crianças brasileiras pelo Ministério da Saúde, aos 2, 4 e 6 meses de idade, com reforço aos 18 meses e 5 anos. Esta vacina é altamente eficaz contra as três doenças. A imunização nasal de camundongos BALB/c com uma combinação de PspA a wP, induziu altos níveis de anticorpos anti-PspA e conferiu proteção contra modelos de desafios letais e de colonização por S. pneumoniae. De forma similar, a vacina DTP também exerceu efeito adjuvante quando combinada a PspA, levando à proteção dos animais vacinados contra diferentes desafios letais por pneumococo. O estudo destas vacinas demonstrou ainda que PspA não interfere na resposta aos antígenos componentes da DTP, demonstrando que a inclusão de PspA na vacina DTP é uma estratégia promissora. Neste projeto, propomos a expressão de PspA na linhagem vacinal de B. pertussis, de forma a produzirmos uma vacina recombinante inativada wPPspA. A vantagem desta estratégia está na produção de uma formulação dupla contra pertussis e pneumococo, através da fermentação da B. pertussis recombinante, eliminando as etapas atuais de obtenção de PspA, que envolvem expressão em sistema de Escherichia coli e purificação. A resposta imune contra pneumococo e pertussis induzida em animais vacinados com wPPspA será avaliada em modelos animais. (AU)