Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da desmineralização óssea nos processos de reparo tecidual: estudo microscópico, estrutural e da atividade de células osteoblásticas em calvária de ratos

Processo: 15/06394-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2015
Vigência (Término): 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Maria Lúcia Rubo de Rezende
Beneficiário:Giovana Fuzeto Veronesi
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/15136-8 - Efeito da desmineralização óssea nos processos de reparo tecidual: estudo microscópico, estrutural e da atividade de células osteoblásticas em calvária de ratos, AP.R
Assunto(s):Osteoblastos   Desmineralização patológica óssea   Tecido ósseo de animal   Ratos

Resumo

Dados recentes apontam que a desmineralização óssea pode promover a consolidação de enxertos e a proliferação e diferenciação celular, mas os mecanismos biológicos envolvidos nesse processo precisam ser esclarecidos. Serão investigados, em calvária de ratos, os efeitos da desmineralização óssea sobre: 1) o reparo de enxertos ósseos em bloco cujas superfícies de contato serão desmineralizadas da mesma forma; 2) o comportamento de osteoblastos humanos cultivados sobre superfícies ósseas desmineralizadas da mesma forma quanto: a) à morfologia e a área de cobertura da superfície pelas células à microscopia eletrônica de varredura (MEV); b) à atividade sintética celular pela reação em cadeia da polimerase em tempo real (RT-PCR) quanto à expressão de metaloproteinases (MMP-2, MMP-9), osteopontina (OPN), sialoproteína óssea (BSP), gene da anquilose progressiva (ANKH), fosfatase alcalina, colágeno tipo I e Runx-2; c) a capacidade de deposição de cálcio pelas células através de método colorimétrico. As superfícies desmineralizadas serão caracterizadas: quanto à composição, através de espectroscopia de energia dispersiva (EDS); quanto à expressão de proteínas ósseas morfogenéticas (BMP's) por microscopia confocal e quanto à rugosidade superficial, por perfilometria. Dados quantitativos colhidos da microscopia óptica convencional, ¼CT, MEV, RT-PCR e colorimetria serão comparados pelo teste ANOVA e pós-teste de Tukey e os dados relacionados à análise da superfície óssea serão comparados pelo teste t de Student, ambos com nível de significância de 95 %. (AU)