Busca avançada
Ano de início
Entree

Mapeamento e análise do uso da terra nas Áreas de Preservação Permanente (APP) no município de Indaiatuba (SP)

Processo: 14/23136-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2015
Vigência (Término): 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Lindon Fonseca Matias
Beneficiário:Letícia de Sousa Araújo
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Geoprocessamento   Mapeamento   Sensoriamento remoto   Sistema de informação geográfica (SIG)   Conservação dos recursos naturais   Indaiatuba (SP)

Resumo

O município de Indaiatuba localiza-se na região Metropolitana de Campinas (RMC) e apresenta uma forte taxa de urbanização fruto das transformações ocorridas na estrutura urbana brasileira a partir da metade do século XX, notadamente presentes na região, que contribuiu para um alto crescimento demográfico e do processo de industrialização. Estes fatores colaboraram para a acentuada expansão da mancha urbana no município e, consequentemente, no avanço sobre o meio natural, gerando impactos ambientais e, também, sociais. O objetivo central deste projeto de pesquisa consiste no mapeamento das Áreas de Preservação Permanente (APP) no município de Indaiatuba (SP) e posterior análise do uso da terra (com ênfase na área urbana) para revelar seus atuais usos e constatar a adequação ou inadequação com a legislação vigente, isto é, com o novo Código Florestal, Lei nº 12.651 de 25 de maio de 2012, apontando os principais impactos socioambientais e correlacionando com a expansão da mancha urbana que se deu a partir da década de 1970. Pretende-se realizar a análise com base em geotecnologias, levantamento bibliográfico sistemático e trabalho de campo. Dessa forma, o trabalho intenciona contribuir para o melhor conhecimento da situação ambiental nas APP, auxiliando para um melhor planejamento territorial e uma melhor gestão ambiental.