Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento de fungos com potencial para biorremediação de metais pesados e radionuclídeos na mina de urânio Osamu Utsumi

Processo: 15/06757-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Benedito Corrêa
Beneficiário:Ednei Assunção Antunes Coelho
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/14338-7 - Estudo da biomineralização de fosfato por microrganismos para a biorremediação de rejeitos de minas de urânio, BE.EP.DR
Assunto(s):Biodiversidade   Metais pesados   Fungos   Biorremediação

Resumo

A mina Osamu Utsumi das indústrias nucleares do Brasil (INB), localizada no município de Caldas/MG, foi a primeira mina de extração de urânio no Brasil e teve suas atividades encerradas em 1995, desde então apresenta problemas para reabilitar as áreas contaminadas causadas pelas atividades de extração de urânio, um dos principais problemas é a drenagem ácida de mina (DAM), que leva a formação de ácido sulfúrico e deixa a água dos efluentes da região com pH de 2,5 a 3,0 e com altas concentrações de metais pesados, inclusive radioativos como urânio e tório, todos com níveis de concentração acima dos limites permitidos pela legislação, esses metais pesados são altamente tóxicos. A biorremediação é uma tecnologia alternativa para a remediação de locais contaminados com metais pesados. O potencial de fungos como bioadsorvente tem sido reconhecido pela remoção de íons de metais pesados e radionuclídeos de áreas contaminadas. Os fungos acumulam micronutrientes tais como Cu, Zn, Mn e metais não-nutrientes como U, Ni, Cd, Sn e Hg em altas concentrações, maiores do que seus requerimentos nutricionais. O estudo da microbiota fúngica da água e solo e sedimento na área da mina, e a capacidade de adsorção dos metais pesados por esses micro-organismos, são de extrema importância para elaboração de uma tecnologia alternativa de remediação visando a recuperação de um ambiente contaminado. Com base nesses precedentes este projeto de pesquisa tem como objetivo principal isolar e caracterizar espécies fúngicas de solo, água e sedimento em mina de urânio e avaliar a capacidade de adsorção de metais pesados por esses micro-organismos vivos e mortos. Os objetivos específicos serão: Isolar e identificar fungos em amostras de solo, água e sedimento na área da mina em diferentes pontos de coleta; selecionar os fungos quanto a sua capacidade de crescimento frente aos íons de metais pesados (urânio, tório, cobre, ferro); determinar a velocidade de crescimento radial frente aos íons de metais pesados; avaliar a distribuição dos metais pesados na célula fúngica; determinar e quantificar a retenção de íons de metais pesados em micélios fúngicos e leveduras. A pesquisa será a primeira realizada na área da mina. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.