Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise in vivo da reatividade glial dependente de MHC Classe I após lesão do sistema nervoso

Processo: 15/08297-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 06 de julho de 2015
Vigência (Término): 05 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira
Beneficiário:Luciana Politti Cartarozzi
Supervisor no Exterior: Frank Kirchhoff
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Saarland University, Saarbrücken, Alemanha  
Vinculado à bolsa:13/16134-6 - Estudo dos mecanismos imunomoduladores exercidos pelas células tronco mesenquimais sobre a reatividade das células gliais e correlação com a capacidade regenerativa após axotomia de raízes lombares, BP.DR
Assunto(s):Neurobiologia

Resumo

A interação entre motoneurônios e células gliais tem uma importância crucial na sobrevivência, regulação do estado funcional e conectividade sináptica na medula espinal. Compreender os mecanismos desta interação poderá contribuir para o desenvolvimento de novas estratégias com o intuito de promover a regeneração após injúria. Após uma lesão, alem dos neurônios, as células da glia também sofrem alterações morfofuncionais: os astrócitos respondem rapidamente à injúria com uma reorganização estrutural do citoesqueleto, resultando em alterações nos processos astrocitários que se interpõem entre as membranas do neurônio lesionado e dos terminais sinápticos em retração, e a micróglia reage com hiperplasia e hipertrofia. Diversos estudos atuais demonstram que os neurônios expressam moléculas que, originalmente, eram tidas como específicas do sistema imune. Dentre estas, estão as moléculas do complexo de histocompatibilidade principal classe I (MHC I). Estudos recentes indicam que a sinalização através do MHC I pode ser uma via utilizada por neurônios e células da glia para interação, tanto na normalidade quanto em processos patológicos. Células microgliais expressam MHC I após uma lesão, e a reatividade dos astrócitos pode ser afetada pela modulação do MHC I, causando alteração no processo de plasticidade sináptica. Tendo em vista este contexto, o objetivo primário deste projeto é entender como os astrócitos e micróglias respondem à injúria do sistema nervoso de uma maneira dependente do MHC I. Para tal, nós utilizaremos uma combinação de modelos de animais transgênicos, injeção de traçadores retrógrados, 2P-LSM e técnicas cirúrgicas para imagear in vivo motoneurônios e glia circunjacente localizados no corno ventral da intumescência lombar da medula espinal. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARTAROZZI, LUCIANA POLITTI; RIEDER, PHILLIP; BAI, XIANSHU; SCHELLER, ANJA; RODRIGUES DE OLIVEIRA, ALEXANDRE LEITE; KIRCHHOFF, FRANK. In vivo two-photon imaging of motoneurons and adjacent glia in the ventral spinal cord. JOURNAL OF NEUROSCIENCE METHODS, v. 299, p. 8-15, APR 1 2018. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.