Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressões emocionais de bebês e práticas de cuidado/educação em diferentes contextos de desenvolvimento

Processo: 14/25937-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Katia de Souza Amorim
Beneficiário:Ludmilla Dell Isola Pelegrini de Melo Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Desenvolvimento infantil   Educação infantil

Resumo

Os bebês humanos nascem com um aparato biológico capaz de atrair a atenção e o cuidado dos adultos, que, por sua vez, constroem e compartilham práticas de cuidado / educação que possibilitam a sobrevivência, a constituição cultural e a subjetividade das crianças. Apesar de esse processo acontecer em contextos variados ao longo da história e em diferentes condições de vida, na revisão da literatura, observou-se que os estudos estão fundamentalmente focados nos contextos da família; quando muito, tratam da creche. Ainda, abordam como perspectiva a visão do adulto acerca dele. Desta forma, aliada à participação indireta dos bebês, está a invisibilidade de determinados contextos, como instituições de acolhimento e família acolhedora. Assim, o objetivo desta pesquisa será investigar práticas de cuidado/educação de bebês em seu entrelaçamento com as expressões emocionais de desprazer de crianças entre três e oito meses, que vivem em diferentes contextos socioculturais: família biológica, família acolhedora, instituição de acolhimento e creche. Para condução da pesquisa serão utilizados quatro Bancos de Dados Audiovisuais do CINDEDI, com videogravações de bebês nesses contextos. Na família biológica, as gravações foram realizadas ao longo do primeiro ano do bebê, desde o seu nascimento; na creche, as gravações acompanharam três bebês focais (entre 4 e 13 meses de idade), ao longo de quatro meses; na instituição de acolhimento, três bebês focais (entre 3 e 13 meses de idade) foram videogravados por quatro meses; e, na família acolhedora, dois bebês (entre 5 e 11 meses de idade) foram acompanhados por seis meses. Dentre esses bebês, um foi selecionado de cada banco de imagens, os critérios sendo a intersecção das idades, entre três e oito meses de vida, os bebês sendo respectivamente Aruã, Catarina, Lucas e Cecília. A construção do corpus empírico se fará através de um mapeamento das expressões emocionais de desprazer dos bebês em dialógica relação com as ações dos parceiros de interação, sendo feita categorização detalhada dos comportamentos, tanto dos bebês quanto dos adultos. Após análise quantitativa, será feita seleção e análise de episódios que evidenciem as práticas de cuidado/educação dos parceiros de interação em articulação com a manifestação das e as mudanças nas expressões emocionais dos bebês ao longo de um mesmo episódio e ao longo do tempo, nos vários contextos e relações. Esse trabalho contribui por viabilizar a investigação dos diferentes contextos nos quais os bebês vivem e se desenvolvem, dando maior visibilidade a esses ambientes e possibilitando a ampliação dos conhecimentos sobre a educação de crianças pequenas. Espera-se que possa colaborar tanto com questões teóricas, como com as políticas e programas de formação já existentes, quem sabe fundamentando novas estratégias de ações na comunidade. (AU)