Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil de mortalidade, ocorrência de eventos adversos e impacto do momento da admissão na mortalidade de pacientes adultos do Hospital de Clinicas da Faculdade de Medicina de Marília.

Processo: 15/03063-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2015
Vigência (Término): 31 de outubro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Lucieni de Oliveira Conterno
Beneficiário:Ruan Júnio Lopes Bicalho
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Infectologia   Eventos adversos   Mortalidade hospitalar   Sazonalidade

Resumo

Introdução:A mortalidade hospitalar está classicamente relacionada a vários fatores como a idade, a gravidade da doença de base e ao número de comorbidades. Além destes fatores alguns estudos sugerem que o prognóstico dos doentes também depende da hora e dia da admissão hospitalar e de alguns eventos adversos que ocorrem durante a hospitalização, dentre eles destacando-se as infecções relacionadas a assistência a saúde. Dados mostram que pode haver variabilidade na assistência prestada durante o dia da semana, particularmente quando estes são medidos em termos de resultados, como a mortalidade, sendo esta maior nos sábados e nos domingos. Da mesma forma, existem alguns dados que sugerem que pacientes internados no período noturno podem apresentar um aumento da mortalidade. Além disto, durante a hospitalização os pacientes estão sujeitos a vários incidentes, e que poderiam potencialmente ter sido evitados, denominados eventos adversos pela OMS.Os eventos adversos estão associados ao aumento do tempo de permanência hospitalar e da mortalidade hospitalar. Estima-se que a incidência de eventos adversos seja em torno de 10% entre pacientes hospitalizados e que 4,4% a 20,8% destes eventos possam levar a morte .As infecções hospitalares ou relacionadas a assistência a saúde (IRAS) são um dos principal eventos adversos a que estão expostos os pacientes durante a internação e portanto uma das principais ameaças a sua segurança.Objetivos: conhecer o perfil de mortalidade hospitalar em adultos internados no Hospital de Clinicas de Marília; descrever a prevalência de eventos adversos tais como as infecções hospitalares, úlcera de pressão, queda, fenômenos tromboembólicos entre pacientes que evoluíram para óbito; comparar a ocorrência de eventos adversos entre os pacientes clínicos e cirúrgicos; avaliar a influência do dia e hora de admissão na mortalidade hospitalar precoce e tardia entre pacientes clínicos e cirúrgicos.Metodologia: Será realizado um estudo de coorte retrospectiva, incluindo os pacientes adultos que evoluírem para óbito, durante a internação hospitalar, nas enfermarias clinicas e cirúrgicas do Hospital de Clinicas da FAMEMA, durante o período de um ano. Serão coletados através de ficha padronizada as seguintes dados dos prontuários: idade, sexo, origem do paciente (pronto-socorro, ambulatório, transferência de outro hospital, unidade básica de saúde, SAMU), dia da semana e hora da admissão, diagnóstico de internação e diagnósticos associados, cirurgias (tipo, urgência ou eletiva), tempo de internação em enfermaria , internação em UTI, causa de óbito, dia da semana e horário do óbito. Eventos adversos: Infecções diagnosticadas e topografia (Pneumonia, Infecção urinária, infecção da corrente sanguínea, infecção do sítio cirúrgico), úlcera de pressão, registro de queda, tromboembolismo. Espera-se com este estudo conhecer o perfil de mortalidade dos pacientes internados em enfermaria, a frequência de eventos adversos que sejam passíveis de modificação para que se possam programar estratégias de melhoria consoante com a realidade local.