Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação morfométrica de testículos de ratos submetidos à criptorquidia e ou expostos a tóxicos ambientais

Processo: 14/23042-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Merielen Garcia Nascimento e Pontes
Beneficiário:Thania Rios Rossi Lima
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias testiculares   Morfometria

Resumo

A Síndrome da Disgenesia Testicular (SDT) é uma condição caracterizada por desordens isoladas ou variavelmente combinadas do sistema reprodutor masculino, como baixa qualidade do sêmen, criptorquidia, hipospadia e tumores testiculares. Embora os fatores de risco para a SDT não sejam totalmente conhecidos, evidências de natureza variada sugerem de modo cada vez mais forte a influência de substâncias exógenas, como os contaminantes ambientais que têm ação de interferência endócrina, no aumento global da incidência desta síndrome, inclusive no Brasil. Estas evidências foram confirmadas experimentalmente em maior ou menor grau para todos os constituintes da SDT, exceto para os tumores testiculares de células germinativas (TTCG). Dentre as alterações da SDT, a criptorquidia isolada é a anomalia congênita mais comum no nascimento, ocorrendo em até 6% dos meninos nascidos a termo. Pacientes criptorquídicos desenvolvem TTCG de cinco a 10 vezes mais do que homens normais, i.e., a criptorquidia é um indicador de risco importante para TTCG. O objetivo deste projeto é caracterizar as alterações morfométricas dos túbulos seminíferos de testículos de ratos expostos a condições associadas à SDT em humanos que consistem da exposição in utero à acrilamida ou ftalato, que são tóxicas ao testículo e, após a concepção, à criptorquidia. Os animais criptorquídicos serão posteriormente também submetidos à orquidopexia, i.e., correção cirúrgica da criptorquidia. Os animais controles serão submetidos a falsas cirurgias. Em momentos variados da vida pós-natal até a 52ª semana após os procedimentos cirúrgicos serão avaliados morfometricamente os seguintes parâmetros: volume total dos testículos, diâmetro dos túbulos seminíferos, altura e volume do epitélio do túbulo seminífero e comprimento dos túbulos seminíferos. (AU)