Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da obesidade sobre a função, atividade eletromiográfica e volume da musculatura do assoalho pélvico em mulheres multíparas

Processo: 15/03401-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2015
Vigência (Término): 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Patricia Driusso
Beneficiário:Djessica Aline Santos Bocardi
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde da mulher   Obesidade   Assoalho pélvico   Fatores de risco   Composição corporal   Índice de massa corporal   Ultrassonografia   Eletromiografia

Resumo

Sabe-se que a obesidade está entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento das disfunções do assoalho pélvico em mulheres. Inúmeros estudos populacionais relacionam a obesidade ao aumento da prevalência de incontinência urinária e prolapso de órgãos pélvicos. No entanto, o mecanismo exato responsável por essa associação é pouco esclarecido. Diante disso, este estudo tem como objetivo comparar mulheres multíparas eutróficas, com sobrepeso e obesidade e avaliar os efeitos do acúmulo de gordura corporal sobre a função, atividade eletromiografia e volume da musculatura do assoalho pélvico. Serão selecionadas 54 mulheres com idade entre 18 anos e 35 anos, sexual e fisicamente ativas, com Índice de Massa Corporal em valores indicativos de normalidade, sobrepeso e obesidade. Inicialmente, as voluntárias serão submetidas à avaliação da composição corporal total e do segmento tronco. Em seguida será avaliada a função da musculatura do assoalho pélvico pela palpação digital, a pressão de contração dessa musculatura pela perineometria, além da atividade eletromiográfica dos músculos do assoalho pélvico durante o repouso e a contração voluntária máxima. Após dois a quatro dias será realizada a ultrassonografia bidemensional dos músculos do assoalho pélvico pelo método transperineal para realização da medida da distância entre a sínfise púbica e o colo da bexiga. Testes estatísticos adequados serão aplicados para relacionar as variáveis força indireta, pressão, atividade eletromiográfica e volume dos músculos do assoalho pélvico com as variáveis porcentagem de massa gorda total e do segmento tórax. Diante do aumento do número de mulheres com sobrepeso e obesas, a análise dos efeitos do acúmulo excessivo de gordura corporal sobre a musculatura do assoalho pélvico pode auxiliar na elaboração de estratégias preventivas precoces para as disfunções do assoalho pélvico, promovendo a melhoria da qualidade da qualidade de vida das mulheres em todas as faixas etárias.