Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo in vitro da toxicidade de enzimas proteolíticas de Acanthamoeba spp.

Processo: 15/06852-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 31 de maio de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Fábio Ramos de Souza Carvalho
Beneficiário:Guilherme Moraes de Moura do Val
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51626-1 - Toxinas de Acanthamoeba spp. como fatores de virulência em infecções da superfície ocular, AP.JP
Assunto(s):Citopatologia   Córnea   Ceratite   Acanthamoeba   Enzimas proteolíticas

Resumo

Infecções da superfície da córnea por amebas de vida livre do gênero Acanthamoeba, denominadas ceratites amebianas, são caracterizadas pela dor aguda e comprometimento progressivo da acuidade visual do paciente. A adesão dos trofozoítos às células epiteliais da córnea, seguido de lesões e invasão do tecido são processos importantes no estabelecimento da infecção. Os danos causados às células e tecido da córnea pela ameba estão, em geral, associados aos processos de fagocitose e secreção de enzimas. Em estudo recente, nosso grupo de pesquisa demonstrou grande diversidade de perfis proteolíticos associados a diferentes isolados clínicos do protozoário, sugerindo um padrão de virulência específico e diferenciado para cada isolado clínico. No entanto, o efeito patogênico destas proteases em modelos de células da córnea é desconhecido. A partir das hipóteses de que as proteases produzidas por Acanthamoeba spp. podem desempenhar não somente um papel na patogênese da doença e citopatogenicidade das células do epitélio da córnea, mas também podem ser aplicadas como marcadores moleculares na diferenciação dos isolados patogênicos e não-patogênicos, propomos o desenvolvimento deste estudo esperando alcançar os seguintes objetivos: (I) estudar o efeito da quimiotaxia, a partir da interação direta protozoário-hospedeiro, de trofozoítos provenientes de diferentes isolados clínicos de Acanthamoeba spp na viabilidade de células da córnea; (II) avaliar a citopatogenicidade de diferentes perfis de protease de Acanthamoeba spp. em células de córnea; (III) estudar o efeito das proteases de Acanthamoeba spp., a partir da interação indireta protozoário-hospedeiro, nas células da córnea e (IV) avaliar, a nível quantitativo, o efeito dose/ resposta da concentração de proteases de Acanthamoeba spp. na viabilidade de diferentes linhagens celulares de córnea. São esperados resultados que auxiliem no entendimento de diferentes aspectos relacionados à gênese da ceratite amebiana, tais como a virulência diferenciada expressa por isolados clínicos de Acanthamoeba spp. em linhagens celulares de córnea; o efeito direto e indireto de enzimas proteolíticas secretadas pelo protozoário na estrutura e função de células especializadas da córnea e, finalmente, conhecendo o espectro de ação das enzimas secretadas pelo protozoário in vitro, os resultados provenientes deste estudo poderão abrir promissoras perspectivas acerca da elaboração e aplicação de compostos químicos e/ ou biológicos voltados especificamente para atividade inibitória das proteases extracelulares de Acanthamoeba spp., minimizando possíveis efeitos tóxicos sobre as células da córnea.