Busca avançada
Ano de início
Entree

O atendimento aos sem-abrigos: um balanço da produção sociológica na França

Processo: 14/22670-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Sociologia Urbana
Pesquisador responsável:Cibele Saliba Rizek
Beneficiário:Natália Maximo e Melo
Supervisor no Exterior: Marc Bessin
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), França  
Vinculado à bolsa:13/00260-2 - Entre a guarda municipal e a Assistência Social: um estudo da gestão municipal da população de rua em São Carlos-SP, BP.DR
Assunto(s):Política social   Sem-teto   Morador de rua

Resumo

Esse projeto propõe a realização de pesquisa bibliográfica e documental a respeito dos "sans-abris" na França. A pesquisa se realizará no Institut de Recherche interdisciplinaire sur les enjeux sociaux sob supervisão do Prof. Marc Bessin. Pretende-se com isso, poder levantar bibliografia que permita compreender uma forma de atendimento social pautado em princípios e procedimentos diferentes daqueles que a Política Nacional de Assistência Social no Brasil preconiza para a "população em situação de rua". Por isso, a pesquisa se desenvolverá, primeiramente, na compreensão de uma categoria que constrói um público-alvo específico: "sans-abris". Esta categoria é utilizada para toda a União Europeia e a partir dela instituições em contextos nacionais diversos operacionalizam suas políticas. Em Paris, os atendimentos a esse segmento populacional é feito pelas maraudes, espécies de rondas que atendem os moradores de rua baseadas na lógica da urgência, de modo similar ao da emergência médica. No Brasil, os atendimentos ao morador de rua não foram construídos segundo a mesma lógica e pretender ser contínuos e não emergenciais. Em segundo lugar, pretende-se poder comparar os "sans-abris" como categoria supra-nacional com a categoria nacional de "população em situação de rua" utilizada na Política de Assistência Social brasileira. (AU)