Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da permeabilidade do óxido de grafeno usando um modelo in vitro de barreira hemato-encefálica

Processo: 15/03254-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Maria Alice da Cruz Hofling
Beneficiário:Monique Culturato Padilha Mendonça
Supervisor no Exterior: István Krizbai
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Hungarian Academy of Sciences (HAS), Hungria  
Vinculado à bolsa:12/24782-5 - Óxido de grafeno e sistema nervoso central: avaliação dos efeitos na barreira hematoencefálica e perfil nanotoxicológico, BP.DR
Assunto(s):Nanomedicina   Nanopartículas   Óxido de grafeno   Barreira hematoencefálica

Resumo

A barreira hematoencefálica (BHE) é uma estrutura tanto física quanto molecular, localizada na interface entre o sangue e o cérebro, destinada a manter a homeostasia do sistema nervoso central (SNC) através da proteção do tecido neural contra injúrias físicas e químicas. Entretanto, também constitui uma barreira contra agentes terapêuticos empregados no tratamento de doenças do SNC. Neste contexto, a nanomedicina surge demonstrando seu potencial para ajudar a superar este problema. Em estudos prévios, nós demonstramos ao longo do tempo a difusão e distribuição espacial das nanopartículas de óxido de grafeno (OG) no cérebro de ratos após injeção intravenosa. No entanto, os mecanismos de permeação destas nanopartículas através da BHE ainda não foram completamente elucidados. A fim de ampliar o entendimento sobre as interações do OG com as células, estamos solicitando um período de três meses de estágio em um laboratório com experiência em modelos in vitro de BHE. Particularmente, a relevância de modelos in vitro de BHE para a avaliação do carreamento de drogas utilizando nanopartículas e avaliação nanotoxicológica é notória. Além disso, modelos in vitro de BHE possuem propriedades de transporte que podem ser facilmente monitoradas ao longo do tempo com custos experimentais mais baixos e sem necessidade do uso de animais. Esperamos que a nossa compreensão destes mecanismos básicos colabore para o desenvolvimento de novos tipos de sistemas de liberação baseados em nanocarreadores que contribuirão para o avanço da terapia medicamentosa das doenças que afetam o SNC. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PADILHA MENDONCA, MONIQUE CULTURATO; SOARES, EDILENE SIQUEIRA; DE JESUS, MARCELO BISPO; CERAGIOLI, HELDER JOSE; BATISTA, ANGELA GIOVANA; NYUL-TOTH, ADAM; MOLNAR, JUDIT; WILHELM, IMOLA; MAROSTICA, JR., MARIO ROBERTO; KRIZBAI, ISTVAN; DA CRUZ-HOFLING, MARIA ALICE. PEGylation of Reduced Graphene Oxide Induces Toxicity in Cells of the Blood-Brain Barrier: An in Vitro and in Vivo Study. MOLECULAR PHARMACEUTICS, v. 13, n. 11, p. 3913-3924, NOV 2016. Citações Web of Science: 19.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.