Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias reprodutivas em cracas sob estresse térmico: respostas tropicais versus temperadas

Processo: 15/10327-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 06 de agosto de 2015
Vigência (Término): 20 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Augusto Alberto Valero Flores
Beneficiário:Paula Kasten
Supervisor no Exterior: Stuart Rees Jenkins
Instituição-sede: Centro de Biologia Marinha (CEBIMAR). Universidade de São Paulo (USP). São Sebastião , SP, Brasil
Local de pesquisa : Bangor University, País de Gales  
Vinculado à bolsa:12/17380-8 - Efeitos latentes ou cumulativos? a influência da manipulação maternal e da condição trófica pelagial no recrutamento de cirripédios do entre marés, BP.DR
Assunto(s):Biologia reprodutiva   Craca   Estresse térmico   Clima tropical   Clima temperado

Resumo

As regiões do entre marés e águas costeiras adjacentes são habitats dinâmicos e as condições para organismos bentônicos bem como para fases larvais pelagiais variam de ótimas para ameaçadoras em curtos períodos de tempo. Portanto, a estabilidade e persistência de populações de invertebrados do entre marés pode depender de táticas reprodutivas baseadas em respostas rápidas às pistas ambientais. Altas temperaturas por longos períodos de emersão é provavelmente o fator físico mais importante que afeta as populações de organismos sésseis deste ambiente. Uma vez que o estresse térmico pode culminar em eventos de mortalidade em massa, respostas reprodutivas distintas frente às temperaturas críticas podem alterar a aptidão dos organismos, e podem, portanto, ser previsíveis para espécies que dominam os costões rochosos. Neste projeto iremos comparar as respostas reprodutivas da craca da região tropical Chthamalus bisinuatus e da craca de região temperada Chthamalus montagui submetidas às diferentes temperaturas que estas espécies vivenciam durante o verão no sudeste brasileiro e na costa do País de Gales, respectivamente. Em teoria, eventos críticos de estresse térmico e depleção de alimento na região costeira são mais comuns nos trópicos do que nas regiões temperadas, e, portanto, espera-se que efeitos maternos e plasticidade de caracteres larvais sejam mais relevantes na região tropical. Nós iremos testar a hipótese de que a espécie tropical apresenta efeitos maternos e plasticidade nos caracteres larvais devida à maior frequência de eventos de estresse térmico. Queremos verificar se respostas rápidas aos eventos de estresse térmico permitem a elaborações de um padrão geral de magnitude variável ou se estas espécies seguem estratégias reprodutivas diferentes. Se houver um padrão em comum, iremos comparar a plasticidade das respostas envolvendo manipulação na qualidade da larva e, então, avaliar sua importância relativa para estas duas espécies. Finalmente iremos testar a correlação entre respostas antecipatórias e performance (sobrevivência e metabolismo de lipídios) das populações adultas experimentais para verificar seu valor adaptativo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
KASTEN, PAULA; TREMBLAY, REJEAN; FLORES, AUGUSTO A. V. Mismatched seasonal patterns of larval production and quality in subtropical barnacle populations along a coastal trophic gradient. ESTUARINE COASTAL AND SHELF SCIENCE, v. 224, p. 43-50, AUG 31 2019. Citações Web of Science: 0.
KASTEN, PAULA; JENKINS, STUART R.; TREMBLAY, REJEAN; FLORES, AUGUSTO A. V. Evidence for enhanced late-stage larval quality, not survival, through maternal carry-over effects in a space monopolizing barnacle. Hydrobiologia, v. 830, n. 1, p. 277-286, MAR 2019. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.