Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias de cruzamento e de manejo para otimizar o desempenho materno e reprodutivo de ovelhas de corte, para a produção de carne e de couro ovinos de qualidade, na região sudeste

Processo: 15/08193-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Genética e Melhoramento dos Animais Domésticos
Pesquisador responsável:Wignez Henrique
Beneficiário:Ingrid Harumi de Souza Fuzikawa
Instituição-sede: Pecuária Sudeste. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51564-6 - Estratégias de cruzamento e de manejo para otimizar o desempenho materno e reprodutivo de ovelhas de corte, para a produção de carne e de couro ovinos de qualidade, na região sudeste, AP.TEM
Assunto(s):Ganho de peso   Necessidades nutricionais   Energia   Cordeiros   Proteínas   Ovinos

Resumo

O mercado doméstico do Brasil demanda produtos de origem ovina em quantidade e qualidade. Os sistemas convencionais de cruzamento entre raças e a formação de compostos podem contribuir para o aumento da eficiência de produção de ovinos, pelo uso da heterose e da complementaridade entre raças. Entretanto, as vantagens dos animais cruzados em relação aos puros dependem das raças cruzadas e do ambiente de criação, havendo, portanto, a necessidade de se avaliar diferentes sistemas de acasalamento e de alimentação e de manejo nas várias regiões do País. O Projeto Temático já aprovado pela FAPESP (Processo no 2011/51564-6) foi delineado com o objetivo de avaliar alternativas de utilização de recursos genéticos e estratégias de manejo visando à melhoria da eficiência de produção e da qualidade da carne e do couro de ovinos produzidos na região Sudeste do Brasil. A bolsa de Treinamento Técnico 3 se refere ao desenvolvimento das atividades do Plano de Ação 7 - Determinação das exigências nutricionais para mantença e ganho de peso de borregas de diferentes grupos genéticos. Este plano de ação visa determinar as exigências de energia e proteína líquidas para mantença e ganho de peso de cordeiros puros das raças Dorper (D), Texel (T), Ile de France (I) e Santa Inês (S) e cruzados ½ D + ½ S (DS), ½ T + ½ S (TS) e ½ I + ½ S (IS), da Fase I (Tabela 1), nascidos em 2013. Serão utilizados vinte e quatro cordeiros de cada grupo genético, desmamados aos 90 dias de idade. Os animais serão mantidos confinados em baias individuais durante 28 dias para adaptação às baias e à dieta, formulada de acordo com as exigências preconizadas pelo NRC (2007) para ganhos estimados entre 200 e 250 g/dia. Após esse período e 16 horas de jejum, seis animais de cada um desses grupos genéticos serão abatidos e será determinada a composição do corpo vazio, constituindo a linha base. Os outros dezoito animais de cada grupo genético serão mantidos confinados, recebendo a mesma dieta, em três níveis de ingestão de matéria seca com seis animais em cada grupo, sendo alimentação ad libitum, com restrição de 75% e com restrição de 60%, até que os animais do grupo alimentado ad libitum atinjam em média 35 kg de peso corporal. Depois disso, todos os animais serão mantidos em jejum por 16 horas e abatidos, para posterior determinação da composição química do corpo vazio. Antes do abate, os animais que tiverem produção de lã serão tosquiados. Todos os animais serão abatidos por insensibilização e será feita a sangria pela secção das veias jugulares e artérias carótidas, com colheita total do sangue. Será feita a separação da pele, da cabeça, das patas e das vísceras. Das vísceras, o trato digestivo será limpo e lavado, a bexiga será esvaziada e o líquido biliar será eliminado. As carcaças serão pesadas e separadas em suas metades, sendo utilizada a meia-carcaça esquerda para as análises. Todos esses tecidos (sangue, cabeça + patas, pele, vísceras, carcaça e lã) serão pesados, moídos, homogeneizados, amostrados e determinados o teores de matéria seca por liofilização. As amostras secas serão enviadas para o laboratório para determinação dos teores de proteína, extrato etéreo e minerais, para cálculo da composição química do corpo vazio. Será calculada a correlação entre peso da carcaça e peso do corpo vazio e com a composição corporal inicial (linha base) e final será possível determinar as exigências de energia e de proteína para mantença e ganho de peso de cordeiros dos diferentes grupos genéticos. Após análise da normalidade de distribuição e da homeocedasticidade das variâncias, os resultados serão submetidos à análise de variância para comparação entre os grupos genéticos.