Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da depleção da co-chaperonina STI1 no controle da pluripotência, proliferação e diferenciação de células-tronco embrionárias murinas

Processo: 14/17385-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 05 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Marilene Hohmuth Lopes
Beneficiário:Jenny Andrea Arévalo Romero
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/13906-2 - Contribuição da co-chaperonina STI1 no desenvolvimento murino: células tronco embrionárias como modelo de estudo, AP.JP
Assunto(s):Biologia celular   Proliferação celular   Diferenciação celular   Células-tronco embrionárias murinas   Chaperoninas

Resumo

STI1 (Stress inducible protein 1) foi inicialmente caracterizada como uma co-chaperonina que interage com proteínas de choque térmico Hsp70 e Hsp90 e regula suas atividades no controle do enovelamento protéico. No entanto, estudos recentes demonstram sua ampla versatilidade funcional e mostram que STI1 medeia efeitos neutrotróficos em diversos processos biológicos como neuritogênese, neuroproteção, desenvolvimento de astrócitos, autorrenovação e proliferação de células-tronco neurais e consolidação de memória, atuando com seu principal ligante, a proteína prion (PrPc). Interessantemente, dados recentes do grupo mostram que a depleção de STI1 é letal para desenvolvimento murino. A ausência da expressão de STI1 afeta diretamente o desenvolvimento embrionário inicial, já que blastocistos (E 3.5) deficientes para STI1 apresentam uma frequência mendeliana atípica, com um baixo número de embriões deficientes (13%), sendo alguns deles aparentemente degenerados. Células-Tronco Embrionárias (CTEs) representam unidades naturais do desenvolvimento embrionário e regeneração tecidual. Essas células possuem uma capacidade ilimitada de auto-renovação e um potencial de se diferenciarem em qualquer tipo celular do organismo. CTEs murinas, CTEm, as quais são estabelecidas como linhagens celulares permanentes derivadas de blastocistos, podem ser consideradas um sistema biológico muito versátil e tem levado a importantes avanços para Biologia celular e do desenvolvimento. Diante desses dados que sugerem um papel fundamental de STI1 no desenvolvimento embrionário precoce, utilizaremos uma linhagem de CTEm (ES-E14TG2a) como modelo de estudo. Portanto, o principal objetivo deste estudo é gerar populações de CTEm com diferentes níveis de expressão de STI1 para caracterizar as funções dessa molécula na proliferação celular, pluripotência, diferenciação e sobrevivência celulares. Finalmente, a caracterização de promissoras moléculas e suas funções levam a um melhor entendimento da Biologia de CTEm e pressagiam o uso terapêutico dessas células na Medicina regenerativa. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CRUZ, LILIAN; ROMERO, JENNY A. A.; IGLESIA, REBECA P.; LOPES, MARILENE H. Extracellular Vesicles: Decoding a New Language for Cellular Communication in Early Embryonic Development. FRONTIERS IN CELL AND DEVELOPMENTAL BIOLOGY, v. 6, AUG 28 2018. Citações Web of Science: 8.
CRUZ, LILIAN; AREVALO ROMERO, JENNY ANDREA; PRADO, MARIANA BRANDAO; SANTOS, TIAGO G.; LOPES, MARILENE HOHMUTH. Evidence of Extracellular Vesicles Biogenesis and Release in Mouse Embryonic Stem Cells. STEM CELL REVIEWS AND REPORTS, v. 14, n. 2, p. 262-276, APR 2018. Citações Web of Science: 5.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ROMERO, Jenny Andrea Arévalo. Impacto da depleção da co-chaperonina STIP1 no controle da pluripotência, proliferação e diferenciação de células-tronco embrionárias murinas.. 2017. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.